Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 17 de outubro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/10/2021
MAGAZINE CAZARINI
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Cidades

Suzanenses realizam romaria até Aparecida pela Rota da Luz

Trajeto é de 201 km, maior do que o realizado pela Rodovia Presidente Dutra (SP-060)

Por Thiago Caetano - de Suzano25 SET 2021 - 18h00
Suzanenses realizam romaria até Aparecida pela Rota da LuzFoto: Divulgação
Um grupo de sete suzanenses realiza romaria até a cidade de Aparecida pela Rota da Luz. A saída aconteceu no domingo (19), às 5 horas, e a chegada será neste sábado (25), entre 10 e 12 horas. Na tarde desta sexta-feira (24), o grupo havia chegado na cidade de Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba. O trajeto é de 201 km, maior do que o realizado pela Rodovia Presidente Dutra (SP-060).
 
O fotógrafo Carlos Magno foi um dos que embarcaram nesta aventura. Esta é a terceira peregrinação que participa. Ele fotografou duas romarias e gostou do propósito. A Rota da Luz é um trajeto recomendado pelo Estado, por ser mais seguro e permite um maior contato com a natureza. “Fotografei minha primeira romaria e passei a gostar. Fiz essa mesma rota em 2019. Ela é mais segura e bonita. Tem paisagens legais”, conta o fotógrafo.
 
Para chegar até a basílica é preciso se esforçar muito. A fé deu força ao grupo durante a caminhada. Não há espaço para a desmotivação. Magno vê o momento em que os fiéis se conectam com a natureza. Uma energia que, segundo ele, contagia qualquer um. Independente da religião. “Neste momento ficamos em conexão com a natureza e conosco. A fé nos motiva. A basílica possui uma energia maravilhosa e contagia qualquer um. Não importa qual religião pertença. Vale muito a pena”.
 
O empresário Paulo Pedro Simão também topou vivenciar essa aventura. É uma forma que encontrou para agradecer a Deus pelas bênçãos recebidas. “Meu propósito é agradecer todas as bênçãos que tive. O cansaço é grande, mas a fé e o companheirismo são maiores”, afirma.
A emoção é tanta que o empresário pretende fazer novamente em 2022. Ele pretende levar mais amigos. “Está sendo incrível. O grupo é fantástico. Ano que vem pretendo fazer novamente e levar mais amigos especiais”, projetou.
 
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Suzano (OAB), Wellington da Silva Santos, também aprecia o momento. A romaria foi um modo de reflexão para o advogado, além de praticar sua fé. “Está sendo um encontro introspectivo no qual estou refletindo sobre toda minha vida: passado, presente e futuro. Além de praticar minha fé”, conta.
 
Ele não escondeu o cansaço. Um de seus companheiros machucou os pés, mas não desistiu, mostrando que não existem barreiras para a fé. “Há realmente um cansaço imenso. Afinal, caminhar 30 km por dia não é fácil. Um dos meus amigos machucou os pés, mas não desistirá”, relata.
 
Católico ou não, cada um deles carregou um propósito. O escritor suzanense Ademiro Alves, o Sacolinha, vê a caminhada como um propósito. Ele participou de outras romarias. Nesta, o trajeto é maior que o habitual, mas ao mesmo tempo é recompensador. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias