Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 26 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/09/2020
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Suzano realiza ação contra a dengue com 130 voluntários no Casa Branca

21 FEV 2016 - 08h01

Suzano realizou ontem uma força-tarefa contra a dengue. A ação foi realizada no Casa Branca, pois o local concentrou maior número de notificações da doença em 2015. A prefeita em exercício Viviane Galvão (DEM) acompanhou o trabalho organizado pelas secretarias de Saúde; Serviços e Manutenção; Trânsito e Mobilidade Urbana; e de Meio Ambiente. Participaram da ação 130 voluntários e três caminhões foram utilizados para a retirada dos entulhos. As ações contra o Aedes aegypti serão intensificadas durante todo o ano e ainda receberão o apoio do Tiro de Guerra de Suzano, a partir de abril. A força-tarefa será realizada até março. Suzano registra, até o momento, 18 casos confirmados de Dengue e outros 79 aguardando resultado dos exames laboratoriais.

O mapeamento das regiões com maior ocorrência de casos de dengue, no passado, foi decisivo para montar um Comitê Municipal Intersetorial contra a dengue. A ação também tem apoio da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Até o final desta semana as equipes vão percorrer a região do Boa Vista e Miguel Badra, segundo informação do coordenador de Vigilância em Saúde, Carlos Ferreira Aguiar Junior.

Os voluntários vão visitar as casas e orientar os moradores a eliminar os criadouros. Garrafas, latas e madeiras serão recolhidas por caminhões que acompanham os trabalhos. Caso encontrem focos do mosquito, um cadastro é preenchido pela Vigilância Sanitária para acompanhamento. "Nossa ação é contra o mosquito e fazemos isso por cidadania. Com isso, estamos ajudando a nos livrar de um 'demônio'", frisou Viviane. Ela lamentou que nações estrangeiras recomendem o adiamento de viagens, para gestantes, a países afetados pelo zika. O Brasil foi citado nessa lista.

Logo que chegaram à Rua Anastácia Maria da Conceição, Parque Casa Branca, o funcionário da Vigilância encontrou duas larvas do mosquito. Elas estavam em um sapato feminino, abandonado na esquina.

Em uma residência foram encontradas latas com acúmulo de água e latinhas de cerveja espalhadas pelo quintal. Um tanque, do lado de fora, tinha louças da noite anterior. Nos fundos do quintal foram recolhidas madeiras, que também podem servir de abrigo para escorpiões. O morador foi orientado pelas equipes.

Morador do bairro há 31 anos, o aposentado Alberto Rezzi conta que, na casa dele, o mosquito não tem chance. "Não deixo pratos com água e mantenho o quintal limpo", afirma. Não foram detectados focos na residência dele. As equipes apenas o orientaram a deixar a piscina sempre coberta.

O secretário de Saúde, Eduardo Sélio Mendes Junior, informou que assim como aconteceu no ano passado, os alunos das escolas serão integrados às ações. "A gente entende que a criança fiscaliza os pais. Será um trabalho incansável e incessante para o combate desse mosquito".

A Secretaria de Serviços e Manutenção vai atuar em todo o município para retirar objetos que sirvam de criadouro para as larvas do Aedes aegypti. Para isso, foi criada a Coleta de Objetos Recicláveis (COR). O material recolhido nas ruas, casas e terrenos serão encaminhados para cooperativas de recicláveis. "Nosso cronograma vai durar o ano inteiro. Dividimos a cidades em 14 setores. Temos licitação de três ecopontos no Jardim Natal, Parque Maria Helena e Miguel Badra", afirma a secretária Carmen Lúcia Lorente, a Carminha. Também participaram da ação a secretária de Meio Ambiente, Letícia de Moraes, de Trânsito e Mobilidade Urbana, Claudinei Valdemar Galo, e de Planejamento e Governo Comunitário, Vagner Pereira Pinto, além do adjunto da Saúde, Romero Lima.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias