Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 18 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/11/2019
PMMC NOVEMBRO AZUL
PMMC SEGURANÇA
PMMC MIGO
Pmmc maternidade
COLÉGIO PLENITUDE
Balanço

Suzano recolhe 97 animais mortos nos oito primeiros meses de 2019

Número de animais recolhidos em rodovias que atendem a região é de 880, segundo Artesp

Por Daniel Marques - de Suzano20 OUT 2019 - 15h00
Suzano recolhe 97 animais mortos nos oito primeiros meses de 2019Foto: Sabrina Silva/DS
O setor de Controle de Zoonoses de Suzano recolheu 97 animais no período de janeiro a agosto de 2019. Na lista, estão inclusos animais mortos retirados das ruas ou por solicitação particular mediante taxa. As informações são da Prefeitura de Suzano.
 
O objetivo da ação é garantir a saúde pública, uma vez que os bichos podem provocar contaminações ou a proliferação de algum tipo de doença. A Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana pede para que os motoristas respeitem os limites de velocidade, a sinalização viária e que mantenham a atenção, sobretudo em regiões próximas a matas ou áreas rurais. Também é importante manter o veículo com a manutenção em dia.
 
Na região
 
O número de animais mortos em estradas que atendem o Alto Tietê chegou a 880 entre janeiro e julho de 2019. Os dados correspondem às rodovias administradas pelas concessionárias Ecopistas e SPMar, e foram divulgados pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Em 2018, o número de mortes no mesmo período foi de 894 e a variação de um ano para o outro apresenta queda de 14 no número de atropelamentos em 2019. No total, 1.568 mortes foram registradas em 2018, com uma média de 130,6 animais mortos por mês nas vias. Foram computados atropelamentos nas rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto (SP-70), que atendem as cidades de Itaquá, Mogi e Guararema, além dos trechos Sul e Leste do Rodoanel Mário Covas (SP-21), sendo Suzano, Poá, Itaquá e Arujá cidades atendidas pelo Trecho Leste.
Os dados divulgados pela Artesp se referem a todo o trecho administrado pelas concessionárias no Estado.
 
Cuidados
 
A Artesp afirma que as áreas com maior incidência de acidentes estão sinalizadas, para que os motoristas redobrem a atenção. A agência pede para que os condutores que avistarem um animal na pista reduzam a velocidade e não buzinem ou joguem luz, pois isso pode assustar o bicho. Uma dica importante é ultrapassar por trás dos animais e sinalizar aos veículos que vierem no sentido contrário. Para isso, basta piscar três vezes o farol e posicionar a mão para baixo com quatro dedos abertos, indicando a presença de animais na pista. A Artesp ainda pede para que o motorista nunca se esqueça de fechar os vidros do veículo ao passar perto de bichos de grande porte e, ao parar o carro, ligar para o 0800 da concessionária responsável pela via.
 
Quando acontece
 
Quando um animal é resgatado com vida, porém machucado, a Artesp diz que ele é levado para cuidados veterinários custeados pelas concessionárias. Após isso, os bichos são encaminhados aos centros de zoonoses municipais. 
Cães e gatos são levados para Organizações Não Governamentais (ONGs), que providenciam a adoção. Já animais silvestres são reintegrados à natureza ou levados para zoológicos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias