Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 29 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/09/2020
SOUZA ARAUJO
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo

Taxa de mortalidade infantil cai 36% em dez anos, aponta Seade

18 DEZ 2015 - 07h00

Em dez anos, a taxa de mortalidade de Suzano caiu 36%. Em 2004, a cidade tinha uma taxa de 19,58 para cada mil nascidos vivos. No ano passado, o número caiu para 12,4. Este último dado foi divulgado pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), na quarta-feira.

Nos últimos dez anos, o município apresentou quatro altas. São elas: de 2005, com taxa de 13,91 para mil nascidos vivos, para 2006, com taxa de 15,44; de 2007 (12,36) para 2008 (17,63); de 2010 (11,18) para 2011 (14,59) e de 2013, com taxa de 11,17 para cada mil nascidos vivos, para 2014.

A Prefeitura de Suzano informou que dados preliminares, deste ano, apontam que a taxa de mortalidade gira em torno de 8,1 e 8,2, mas que ainda não houve a retroalimentação dos dados oficiais. Por este motivo, o número não pode ser confirmado. A administração frisa que a meta da Secretaria da Saúde é manter a taxa de mortalidade abaixo de dois dígitos. “Esta queda na taxa é importantíssima para o município. Para o desenvolvimento saudável de um indivíduo, é importante que haja qualidade já no acompanhamento pré-natal e parto. Tais ações não servem apenas para baixar o índice oficial, mas principalmente para trazer mais qualidade de vida às gestantes e bebês”, informou em nota.

O Executivo informou também que diversas ações contribuem para a baixa taxa de mortalidade registrada pelo município.

“Esse trabalho teve o foco fortalecido na rede Básica de Saúde (UBS's), com qualificação das equipes que acompanham as gestantes, implantação de novos protocolos pré-natais, melhoria no suporte laboratorial com maior oferta de exames para as gestantes. Um trabalho multidisciplinar com objetivo de melhorar a a qualidade no atendimento às gestantes, visando diminuir os óbitos infantis”.

Além disso, projetos como o Ninar são desenvolvidos para estreitar o vínculo das gestantes com maternidade. A requalificação do Posto de Coleta de Leite Humano na Santa Casa também foi considerada importante.

REGIÃO

Das dez cidades do Alto Tietê, quatro tiveram aumento na taxa de mortalidade entre 2013 e 2014. Além de Suzano, as cidades que tiveram crescimento foram: Ferraz de Vasconcelos, que passou de 17,65 para 18,47; Santa Isabel, que passou de 9,4, em 2013, para 14,07, em 2014; e Salesópolis, que apresentou aumento de 13,82 para 32,09; maior aumento da região.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias