Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 24 de novembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/11/2020
PMMC NOVEMBRO AZUL
PMMC MULTI 2020 NOV
Reisinger Ferreira
ERICA ROMÃO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Taxistas aprovam lei e apontam falta de segurança nos itinerários

24 SET 2015 - 08h01

Os taxistas de Suzano aprovaram a criação da 'Lei do Táxi', que vai permitir a regulamentação da categoria. O assunto foi debatido, na terça-feira, em reunião entre os motoristas e o prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB). Apesar do benefício, eles demonstraram preocupação com relação à insegurança nos itinerários. E, apontaram o Distrito de Palmeiras como o mais perigoso. Atualmente, a cidade possui 150 taxistas que realizam cerca de 1,5 mil viagens diárias.

O taxista Marcelo Roberto Xavier diz que o principal objetivo dos trabalhadores com a nova lei é a transferência do alvará na morte do permissionário. "Com esse benefício, se houver algo com os motoristas (o alvará) passa para a viúva e aos herdeiros. O nosso trabalho não é reconhecido. Até o momento só temos um alvará que não tem dados completos do veículo. Por exemplo, se uma blitz parar não tem como provar que somos taxistas. Através da lei vai facilitar para a gente e a Prefeitura que poderá corrigir e ditar as leis necessárias". Atualmente, os motoristas conseguem um alvará que precisa ser renovado a cada 30 dias.

O também taxista Jurasir Lima Magalhães ressaltou que esteve na reunião com o prefeito e que os resultados foram positivos. "A lei vai beneficiar porque teremos nossos direitos garantidos e vai dar segurança para nós. O alvará que conseguimos é mensal e com a regulamentação será anualmente, o que beneficia a todos".

O taxista Fábio Feliciano da Silva afirmou que por dia realiza de seis a oito corridas, já quando o movimento está bom, a quantidade chega a 15. "Se o percurso por pelo Centro ou shopping fica R$ 10, indo para o Colorado chega a R$ 20. Quanto mais longe mais caro fica a corrida. O trecho mais perigoso é em Palmeiras. Antigamente era o Miguel Badra, mas agora anda mais tranquilo".

O taxista Jarbas Barbosa Nogueira aprovou a nova regulamentação e afirmou que, para ele, todos os bairros são perigosos. "Com a lei vai arrumar a bagunça que está para a gente".

Atualmente, o preço da bandeirada de Suzano varia de R$ 2,90 por quilômetro rodado, das 6 às 18 horas para R$ 4,50 por km/rodado (bandeira 2), das 18 as 6 horas.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias