Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 16 de junho de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 15/06/2019
CENTERPLEX 13 A 19/06
PMMC AGASALHO
PMMC UPA JUNDIAPEBA
PMMC JUNHO VERDE
Suzano

Vídeo com montagem sobre Ashiuchi nas redes sociais vira caso de polícia

Foto do rosto do prefeito substitui o de suposto vereador, que estava sendo hostilizado por populares

Por Daniel Marques - de Suzano12 JUN 2019 - 23h56
Caso foi registrado na Delegacia Central de SuzanoFoto: Bruna Nascimento/DS
Um vídeo montagem publicado em uma rede social contra o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) virou caso de polícia na última terça-feira (12).
 
A publicação foi feita por um perfil que faz ataques à administração municipal. 
 
O vídeo, postado no dia 2 de junho, tem aproximadamente 1 minuto. 
 
A postagem se trata de um suposto vereador que faz visita a uma comunidade carente e é tratado com hostilidade pelos moradores do local. 
 
Os residentes usam pedaços de paus, xingam e ameaçam agredir o parlamentar. O vídeo foi editado e, no lugar do rosto do vereador, foi colocada uma foto do rosto do prefeito de Suzano. No final do vídeo, é possível ver ainda o vereador sendo empurrado em um rio. 
 
A frase "quando o Ashiuchi for pedir voto nos bairros" acompanha a publicação. 
 
Segundo o Boletim de Ocorrência (B.O.) registrado no Distrito Policial (DP) Central de Suzano a frase indica que os moradores dos bairros de Suzano devem tomar as mesmas atitudes em visitas do prefeito.
 
Ameaças em comentários da publicação foram registradas no Boletim, inclusive por moradores afirmando estar esperando Ashiuchi com "tacos de beisebol".
 
Prefeitura
 
A Prefeitura de Suzano se posicionou afirmando que é ativa nas plataformas digitais, respeita e entende as manifestações construtivas, que fazem parte da Democracia, porém, é contra a incitação ao ódio e à violência. 
 
A administração municipal ainda afirma que levou o caso ao conhecimento da autoridade policial e que, após análise do vídeo, a polícia concordou com o entendimento de Afranio, entendendo assim que, de fato houve um crime.
 
Segundo a nota da Prefeitura, foi identificado que o conteúdo configura o crime do Artigo 287 do Código Penal, sobre “Fazer publicamente apologia de fato criminoso ou de autor de crime”. 
O caso será investigado pela polícia.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias