Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 17 de outubro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/10/2021
MAGAZINE CAZARINI
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Cidades

Vila Figueira cobra solução contra onda de furtos

mecânico Edson Carlos Barbosa teve sua lixeira roubada. Ele lembra que dois galpões, localizados na mesma rua, foram invadidos

Por Thiago Caetano - de Suzano25 SET 2021 - 19h14
Vila Figueira cobra solução contra onda de furtosFoto: Regiane Bento/DS
Moradores da Vila Figueira, em Suzano, cobram solução contra onda de furtos no bairro. Os crimes ocorreram na Rua Kaneiji Kodama. O mecânico Edson Carlos Barbosa teve sua lixeira roubada. Ele lembra que dois galpões, localizados na mesma rua, foram invadidos na semana passada e no início desta semana.
 
Um portão de um terreno foi furtado, além de registros de água e grades de ferros. A situação ficou grave após a abertura do ferro-velho. “Desde que abriu esse estabelecimento as coisas pioraram”. Juraci Oliveira e o marido cuidam de uma casa, cujo a dona mora em Caraguatatuba, mas possui uma residência em Suzano. Segundo Juraci, a casa foi invadida e teve os móveis roubados. Ela foi registrar o Boletim de Ocorrência (B.O), no entanto não conseguiu.
 
Segundo ela, por não ser dona do imóvel. “Acabaram com a nossa paz”, relatou. Marido de Juraci, o aposentado Vinicius Oliveira disse que o bairro era tranquilo. Ele criticou a segurança do local e evita deixar a casa sozinha. Era uma rua bastante tranquila. Mas é difícil ver GCM ou a polícia passar por aqui. Ficamos até preocupados de sair de casa e na volta acabar não encontrando nada”.
 
A Prefeitura de Suzano esclareceu que as viaturas da Guarda Civil Municipal (GCM) passam pelo bairro constantemente. A rua faz parte do trajeto das equipes para a realização de patrulhamento. Segundo a administração municipal esclareceu ainda que estabelecimentos de sucatas são monitorados pelo Departamento de Fiscalização de Posturas, GCM e Polícia Militar (PM) semanalmente. O estabelecimento será incluído na próxima vistoria.
 
A orientação é que as vítimas realizem o B.O à Polícia Civil. Procurada, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) não respondeu até o fechamento desta reportagem. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias