Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 28 de junho de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/06/2022
CAMPANHA INVERNO SOLIDÁRIO PI 50130
PREFEITURA DE MOGI CAMPANHA: CENTRO DE LUTAS PI 50364
PREFEITURA DE MOGI CAMPANHA: INSTITUCIONAL 2022 PI 50344
CONSTRUTORA PATRIANI
SECRETARIA DO GOVERNO PI 349.415
Delegacia da Mulher

Vítimas de violência registram 362 ocorrências e pedem 194 Medidas Protetivas em Suzano

Índices de violência são maiores para agressões físicas e psicológicas

Por Guynever Maropo - de Suzano26 MAI 2022 - 05h00
Dados são da Delegacia de Defesa da Mulher de SuzanoFoto: Regiane Bento/Arquivo DS
A Delegacia da Mulher de Suzano registrou 362 Boletins de Ocorrências (B.O) de violência e pediu 194 Medidas Protetivas (MPs) para as vítimas, de janeiro a abril, deste ano. 
 
Os casos tiveram queda de 9,27% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os índices de violência são maiores para agressões físicas e psicológicas. No mesmo período em 2021, foram registradas 399 ocorrências e pedidas 224 medidas protetivas. Os dados são da Secretaria do Estado de Segurança Pública (SSP) e apresentados pela delegada da mulher, Silmara Marcelino, ao DS.
 
Ela destacou o baixo número de denúncias comparado ao ano anterior. Atualmente, a DDM atende cerca de 70 casos mensais e tem 102 Inquéritos Policiais em andamento. Em janeiro foi registrado 82 boletins de ocorrências e 38 Medidas Protetivas.
 
O maior índice constado foi de violências físicas com 27, em seguida vêm violência psicologia moral (ameaça), 13 como violência psicológica-calúnia(atribuir falsamente a alguém a autoria de um crime) e 5 registradas como violência sexual. De inquérito eram 91 no processo de julgamento.
 
Segundo a delegada, todos os B.O são somados na DDM, mas há casos registrados nos Delegacia de Polícia do municípios (DP) e também registrados nas DP do Estado. “A quantidade de inquéritos policiais são acumulativos de meses anteriores, os números nem sempre vão estão igualados com quantidade de B.Os do mês”, explica a delegada da mulher.
Em fevereiro foi registrado um feminicídio tentado. A quantidade B.O registrado foi 95, um aumento de 15,85% e concedidas 51 Medidas Protetivas. 
 
Dentro esses 28 eram violência físicas, na sequencia vem violências psicológica com 25 casos, 7 de calunia, 6 de violência sexual e um de violência patrimonial dano /furto. Os processos de Inquéritos foram 76.
 
Março foi mês que mais registrou ocorrências com 113, o índice de violência maior foi ameaça psicológica, depois violência física com 28, calúnias 12, violência sexual foi registrada 6 casos e uma como violência patrimonial. Apenas 60 vítimas conseguiram medidas protetivas e havia 73 inquéritos em julgamento.
 
Em abril, foram registrados 72 B.Os, uma queda de 36,28%.  A quantidade de Inquérito em análise cresceu 39,72% com 102 casos. Assim como em março, o índice de violência foi maior para ameaças psicológicas, na sequência violência física com 28, a violências psicológica de calunia foi registrada 12 e 6 como violência sexual. Foi concedida apenas 45 Medidas Protetivas.
 
A delegada ressalta que a prefeitura tem campanhas ativas e espalha sempre cartazes para incentivar as denúncias de violência doméstica. “Ainda, grande parte destas violências são cometidas pelos homens devido ao machismo. Mas há um avanço porque todo mês são mais de 50 B.Os registrados. É passado por uma triagem para ir a julgamento”, afirma a delegada Silmara Marcelino.
 
A unidade fica localizada na Rua Presidente Nereu Ramos, 302. Aos finais de semana, feriado e período noturno, as mulheres vítimas de violências poderão pedir auxílio nas Delegacia de Polícia do município.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias