Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 21 de janeiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/01/2021
CENTRO MÉDICO CLUBE DS  - OFTALMOLOGIA
GOLDSTAR
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Volta à fase amarela vai impedir contratação temporária de 500 vagas na região, alerta sindicato

Decisão foi tomada um dia após o período eleitoral e levanta críticas de sindicato

Por Matheus Cruz - de Suzano02 DEZ 2020 - 05h00
Fase amarela dificultará a contratação de vagas temporárias, segundo sindicatoFoto: Regiane Bento/DS
O Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) reprovou a decisão do Governo do Estado de São Paulo em retroagir para fase amarela. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (30), um dia após o fim do período eleitoral. Segundo o sindicato, além da queda nas vendas justamente no período de maior importância para o setor, a medida levanta a possibilidade de 500 vagas temporárias serem inviabilizadas.
 
“Já temos relatos de comerciantes que não sabem o que vão fazer com os funcionários que foram contratados para trabalharem temporariamente, como acontece todos os anos. Provavelmente ocorrerão demissões, então é um problema muito grande que foi criado”, avalia Valterli Martinez, presidente do sindicato. 
 
Com o retorno para a fase amarela, os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, inclusive salões de beleza, voltarão a funcionar por dez horas consecutivas, na fase verde os comércios funcionavam por até 12 horas, com 40% da capacidade – à exceção das academias de esportes e ginástica, para as quais foi definido o máximo de 30% e apenas aulas e atividades individuais. 
 
Outro motivo que levanta reclamações, é o fato da decisão ter ocorrido após o período eleitoral. “As medidas do governo sempre possuem dois pesos, um para eles e outro para nós, do comércio. Na eleição eles aumentaram o horário de votação para evitar aglomeração, mas no comércio é diminuído o horário de expediente, aumentando a probabilidade de haver aglomeração, então a gente não entende essa medida”, complementa o presidente. 
 
Decretos municipais
 
As prefeituras locais ainda não emitiram decretos, mas se seguirem o que foi estabelecido anteriormente, o comerciante poderá definir o horário de abertura, desde que respeite as 10 horas por dia. A expectativa é que o decreto municipal de Suzano seja publicado nesta terça-feira (1). “Estamos esperando os decretos municipais, algumas prefeituras definem os horários de funcionamento, outras deixam para o comerciante escolher qual horário preferem abrir. O nosso pedido é que os prefeitos deixem livre, para que cada um possa escolher um horário adequado para o seu setor”, sugere Valterli.
 
Para driblar as possíveis quedas nas vendas, o sindicato recomenda que os comerciantes usem as plataformas digitais e façam vendas online, como forma de respeitar as medidas sanitárias, sem deixarem de vender. “Todo o investimento que foi feito precisará passar por uma reavaliação. Com a carga reduzida, automaticamente o nível de vendas poderão também diminuir. ”, finaliza o presidente.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias