Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 23 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Volume chega a 39,9% é o maior em 2 anos

20 SET 2016 - 08h01

Mesmo após as represas perderem volume de água armazenada, passar de 40,7% - no primeiro dia do mês - para 39,9% ontem, a quantidade armazenada nos reservatórios que compõem o Sistema Produtor Alto Tietê (Spat) faz deste mês, o melhor setembro dos últimos dois anos. Para se ter uma ideia, em 19 de setembro de 2015, a bacia que abastece a região contava com 15,9% de volume, um ano antes, o nível estava em 12,9%.

De acordo com os dados divulgados diariamente pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a pluviometria marcada ontem também é a melhor para o mês em relação a 2014 e 2015, isso porque nos dois últimos anos não foram computados milímetros de chuvas no dia 19 de setembro.

No domingo, as fortes chuvas que atingiram a região deixaram os reservatórios com 40% de volume armazenado. A pluviometria acumulada no mês chegou a 23,4 mm, sendo a média histórica de setembro 83,6 milímetros. Ou seja, até ontem choveu 28% do esperado para o mês.

Ainda segundo levantamento da Sabesp, os reservatórios de Ponte Nova estava com 29,4% da capacidade, Paraitinga com 80,8%, Biritiba com 47,6%, Jundiaí 81,2% e Taiaçupeba 22,5%. O Spat abastece atualmente mais de 1 milhão de habitantes do Alto Tietê. Desde dezembro de 2013, início da crise hídrica, fornecia água para 4,5 milhões de pessoas da Grande São Paulo.

RESERVATÓRIOS

Os bons índices das represas que abastecem o Alto Tietê se estendem para as demais bacias do Estado, o Cantareira, que teve o pior cenário desde o início da crise hídrica, operava até ontem com 74% e 57,2% nos dois primeiros volumes e 44,7% no terceiro - o considerado volume morto -, o Guarapiranga trabalhava com 75,2% e o Alto Cotia com 94,2%. Já o Rio Grande e Claro estão com 77% e 73,2%, respectivamente.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias