Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 13 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/12/2017
mrv

A difícil trajetória do Hospital Federal em Suzano

22 MAI 2015 - 08h00

Há alguns anos que ouvimos falar da aprovação, por parte do governo federal, de um projeto que prevê a construção do Hospital Federal em Suzano.

Aprovada a verba para a primeira fase, faltava acertar o local onde iria ser instalado o Hospital. Pela atual Administração, foi varrido o projeto do ex-prefeito Marcelo Cândido, que previa a realização da obra, num terreno localizado na Rua Prudente de Moraes, perto do Hospital das Clínicas e foi escolhida uma área do outro lado da linha. Não passou muito tempo, que havia sido escolhida outra área no bairro de Montecristo. No entanto, no gabinete do prefeito Paulo Tokuzumi se juntavam outras sugestões. O tempo foi passando, sobretudo pela demora da Caixa Econômica Federal, em liberar a verba de 25 milhões.

Desfilaram no coração do atual prefeito, muitas orações para pedir a Deus, uma luz que indicasse o lugar melhor para a realização da Obra.

Deus atendeu e deu à luz a melhor solução, para Suzano sair da desgraça de perder verba e hospital. Permitiu ao prefeito, a muitos suzanenses e também a mim, conhecer a maravilhosa figura do Presidente da Piaget, Dr. Antônio de Oliveira Cruz, honrado com o título de Cidadão Suzanense, título outorgado pelo vereador, Sr. Valmir e aprovado pela Câmara.

O magnífico Reitor, fundador das Universidades Piaget, anos atrás, estava interessado a instalar um novo Campus Universitário no Brasil e aceitou o pedido do ex-prefeito Marcelo Candido (PT) para trazer a Universidade em Suzano. A Administração portuguesa da Piaget, investiu forte na construção de várias unidades, em um terreno que lhe foi concedido no primeiro mandato do prefeito petista, perto da lagoa, na Avenida Mogi das Cruzes, no Bairro de Montecristo. Concluída a construção, não houve imediatamente o início dos Cursos Acadêmicos, porque algumas pessoas queriam impedir a construção, pois diziam que havia resíduos tóxicos no solo. Após as sondagens feitas e com autorização da Justiça, a Universidade Piaget abriu as portas aos estudantes, ansiosos de navegar no grande veleiro da Universidade. Uma aspiração nada simples de ser alcançada, pelo baixo poder aquisitivo de muitas famílias e por consequência, a exclusão de muitos jovens do mundo das ciências. Para projetar um pouco de luz sobre o futuro obscuro dos alunos, a Universidade Piaget ofereceria a cada ano, em troca do terreno recebido, um número sempre maior de bolsas de estudos. É o que já está acontecendo há algum tempo.

Em março deste ano, o prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB), aproveitando a visita em Suzano do Dr. De Oliveira Cruz, dirigiu-se ao Presidente da Faculdade e pelas informações divulgadas no Diário de Suzano, sabemos que pediu a restituição de uma parte do terreno concedido à Piaget. Recebeu de volta uma área de 165.781 metros quadrados. O presidente da Piaget, homem de fé e de nobres valores humanos, considerou necessária a restituição do terreno pela obra altamente humana de construir um hospital, em benefício da saúde da população, movido, não por motivos políticos, mas sobretudo, religiosos e sociais. Não há agora como sossegar, cabe à Prefeitura reprimir qualquer tipo de ociosidade e inércia. Será que desta vez e em pouco tempo, o térreo e o 1º andar sairão do papel ? Há tanta dor que corta a alma do povo quando as coisas demoram para acontecer. Não dá mais para esperar. Que a generosa restituição, obtida pela engenhosa iniciativa do atual prefeito, junto à bem prestigiada Universidade Piaget, alcancem o seu objetivo e tragam novo ar e novo alento à cidade.



Padre Carmine

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias