Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

A presença dos afrodescendentes em Suzano

20 NOV 2015 - 07h00

carmineO Dia da Consciência Negra, foi instituído em Suzano, durante a Administração do ex-prefeito Marcelo Candido. Ele lançou a ideia, na 2ª Conferência Regional de Igualdade Social, ocorrida em maio de 2006. Quatro municípios aderiram à proposta, entre eles, não poderia faltar o município de Suzano, por ter eleito, pela primeira vez na cidade, um prefeito negro. O projeto de lei, que instituiu o feriado do Dia da Consciência Negra de autoria da vereadora Quitéria David da Silva, foi votado e aprovado na Câmara, no dia 10 de outubro de 2006.

A comemoração, visa a refletir e discutir, os tantos problemas, que afetam a população negra: as desigualdades sociais e raciais, a situação da mulher negra, a cidadania e a cultura dos negros, a inserção dos negros na sociedade brasileira.

Vinte de novembro, foi a data escolhida, por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695.

O feriado agradou, tanto a população negra, como a branca. Na Câmara, já havia um representante da população negra, o vereador José Candido, que no primeiro mandato soube resistir, com o apoio das lideranças de base, à velha ideologia dos brancos no poder. Após 3 mandatos, José já era considerado uma grande liderança em Suzano e depois, na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde atuava como deputado estadual. Em Suzano, os negros deixaram de sofrer, do ponto de vista político, discriminação e humilhação. De fato, o filho do sr. Candido, o jovem Marcelo, chegou de surpresa de São Carlos, foi bem acolhido pela população suzanense, que o elegeu deputado estadual e logo em seguida prefeito da cidade.

É verdade, que ao Marcelo, eleito e confirmado por duas vezes prefeito de Suzano, faltou a capacidade do diálogo, com as forças políticas da cidade e do Estado. Fogos de artifício e foguetes explodiam a cada dia, contra a administração anterior, talvez em nome de uma negritude, inconformada com a desigualdade social, ou pelo exemplo dos jovens, encantados pelo idealismo social e revolucionário do Partido dos Trabalhadores, (PT) que sonhava e lutava, para se livrar da opressão oligárquica, dos militares e do coronelismo. Hoje, Marcelo Candido deixou o partido, ao qual era filiado e não tendo boas perspectivas políticas em Suzano, tudo indica que trabalhará na campanha eleitoral do próximo ano pela eleição de Marta Suplicy para a Prefeitura de São Paulo. No entanto, um novo caminho se abre para todos os afrodescendentes, não porque foi instituído um dia especial para eles, mas porque todos, brancos e negros, estão engajados na luta para um novo Brasil. Nas eleições de 2016 e 2018, entrarão em campo, brasileiros de todas as raças e cores, hasteando a bandeira do Brasil, festejando juntos, a vitória contra a corrupção, a roubalheira, a desigualdade e a impunidade.

A História Universal, foi e continua a ser dilacerada por diversas pragas, gerando conflitos, guerras e destruições. De todos os lados, nas páginas inteiras, em todos os canais, nos agridem as más notícias de conflitos, não mais entre negros e brancos, mas entre grupos de terroristas fanáticos e exaltados e os países do Ocidente. Uniram-se os braços fraternais, de todos, na batalha da igualdade dos cidadãos, porém, continua a tremer, o sossego familiar e a sociedade está em estado de prontidão máxima, pelos ataques, bloqueios e bombardeios que estão acontecendo nos dias de hoje.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias