Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Segunda 20 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

Amor ao que se faz

03 MAI 2015 - 08h00

Amar o que se faz,fazer com amor. Dizem ser esse o princípio para seter satisfação no trabalho e para se trabalhar com satisfação. Percebe-se o brilho no rosto de quem trabalha com amor ao que faz. Isso vai além da recompensa em dinheiro ou das dificuldades enfrentadas na realização do trabalho. Quem tem amor ao que faz sente aquele cansaço gratificante. A origem do trabalho é descrita no livro de Gênesis. A Bíblia diz que Deus trabalhou por seis dias e descansou no sétimo. Deus foi o primeiro a trabalhar sobre a terra; portanto, o legítimo trabalho reflete a atividade de Deus. Ele, ao finalizar a obra da criação, olhou parao que havia feito, achando tudo muito bom. "Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom". (Gênesis 1:31) Por esse exemplo, fica claro que o trabalho deve ser feito e conduzido de uma maneira que produza um resultado de excelência.

Aoolharmos para o nosso trabalho deveríamos sentirsatisfação e realização. O que ocorre, porém, é que a maioria das pessoas não trabalha no que gosta. Muitosse submetem, por necessidade, a subempregos, sendo explorados diariamente, humilhados, recebendo como recompensa salários insuficientes para sustentarem as suas famílias, o que gera grande desgaste e sofrimento internos. Mas não foi isso o que Deus havia planejado para o homem a princípio.Quando Deus criou Adão e Eva, encarregou-os de cuidar do seu lar-jardim. Esse trabalho seria uma bênção para eles. Todavia, a queda do homem, descrita em Gênesis 3, gerou uma mudança na natureza do trabalho. Em resposta ao pecado de Adão, Deus pronunciou sentenças, registradas em Gênesis 3:17-19, sendo quea mais grave delas foi a morte. O trabalho e os resultados do trabalho foram proferidos também no resto do julgamento. Deus amaldiçoou a terra; dessa forma, o trabalho tornou-se difícil. Seria desenvolvido com dificuldade, cansaço e luta. A própria natureza sofreu transformações - o campo passou a produzir espinhos e abrolhos. "Com o suor do teu rosto ganharás o teu pão". (Gênesis 3:19)

Quando Jesus veio viver neste mundo, Ele trabalhou com as próprias mãos em sua oficina de carpinteiro, tornando-se um exemplo para nós também nessa área. O apóstolo Paulo, mesmo sendo o grande missionário, responsável pela disseminação do Evangelho e pelos princípios basilares do Cristianismo, tinha o ofício de fazer tendas. No mundo capitalista as relações com o trabalho são conflituosas e muitas vezes injustas. O trabalho em si não pode ser a nossa razão de viver. Ele é bênção de Deus, sim, mas deve ter significado e propósito, sendo realizado para a glória de Deus; do contrário, é como se corrêssemos atrás do vento!

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias