Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 24 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/10/2020
Pmmc Sarampo Outubro
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC MULTI 2020
PMMC COVID VERDE
ÚNICCO POÁ

Como viver na terceira idade?

10 MAI 2016 - 02h27

lorena burger jurada do c de cronica-frrAs pessoas em sua grande maioria sempre se preocuparam em se preparar para a vida adulta, muitos após o estudo das primeiras linhas foram buscar os cursos noturnos com a finalidade de poder trabalhar e ajudar no sustento da família e na conquista de um futuro melhor para si.

A maioria daqueles que hoje se encontram na chamada terceira idade, trabalharam arduamente para conseguir prosperar e não havia nenhum tipo de incentivo governamental para isso.

Desde cedo aprenderam uma profissão e a ela se dedicaram com afinco, na expectativa de no futuro conseguir a almejada aposentadoria, quando então poderiam descansar merecidamente, recebendo mensalmente o prêmio por sua dedicação.

As notícias de mudanças na aposentadoria foram se fazendo frequentes, ela já não mais se equiparava com o salário de quem permanecia na ativa e muitos, acreditando que ainda era cedo e não estava tão propício para se aposentar, foram relegando e continuaram na labuta, sempre acreditando em dias melhores.

O tempo passou, as mudanças sempre foram feitas pelo governo e nenhuma delas favoreceu o trabalhador, que viu seus sonhos de aposentadoria e descanso cada dia mais longe... Difícil de ser alcançado.

Mantendo-se no trabalho passou a ter um desgaste maior em sua saúde, até por conta da desilusão... Os amigos que se aposentavam já não descansavam, estavam sempre em busca de "um bico" para melhorar a situação, pois os ganhos estavam sendo reduzidos rapidamente.

A maioria, já entrando na terceira idade, passou a visitar com muita frequência não os parentes, os teatros, os cinemas ou fazer viagens, mas os médicos e dessas visitas resultavam receitas carregadas de nomes complicados...

Ao sair dessas consultas, imaginavam que haviam conseguido resolver seus problemas de saúde, agora era fácil... Na farmácia mais próxima comprariam os remédios e na próxima visita ao doutor tudo já estaria normalizado...

Ah! Vã esperança... Na farmácia, após apresentar a extensa lista, percebia que seu salário mal daria para metade daqueles remédios... E tinha que pensar rápido, ver o que era mais necessário, pois ainda tinha que se alimentar e vestir... Prioridades... Difícil escolha depois de certa idade...

Todo aquele esforço despendido no início da vida, o trabalho e a dedicação não teve o merecido reconhecimento...

Não adianta o estatuto, as prioridades nas filas... Tudo isso é bagatela quando se tem certeza que a aposentadoria não permite que viva com dignidade, que relega remédios para poder pagar contas, que perde qualidade de vida para sobreviver...

Então seu olhar perde o brilho, suas costas se curvam, o sorriso se apaga... A vida perde o sentido... Por que tanta luta? Por que tanto esforço?

Cabisbaixo caminha, às vezes apoiado em bengalas e quando seu olhar se levanta, certamente é para pedir que o Criador dele se compadeça, pois, se depender da Previdência, ficará à mingua...

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias