Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 04 de dezembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 04/12/2020

Estabelecendo limites

06 SET 2015 - 08h00

SUELISeus filhos podem não admitir que querem você como chefe, mas respiram com mais facilidade quando você é o chefe. Filhos adolescentes também precisam da segurança de limites definidos, apesar de estarem constantemente testando a autoridade dos pais. Eles querem independência, mas quando percebem que as rédeas estão soltas demais, sentem-se inseguros, desprotegidos e mal-amados. É como se você estivesse dirigindo um carro sobre uma ponte que está suspensa sobre um vale pedregoso. Na primeira vez que você atravessa a ponte, fica tenso e inseguro. Você pensa se vai ser possível chegar até o fim ileso. Mas a razão fala mais forte - você olha para os lados e vê grades laterais na ponte, feitas de material bem resistente. Então, você segue em frente. Agora, suponha que não houvesse grades laterais. Como você dirigiria o carro? Embora você não planeje bater nas grades laterais protetoras, você se sente mais seguro sabendo que elas estão lá. O mesmo ocorre com os filhos - eles precisam saber precisamente quais são as regras e quem vai zelar pelo cumprimento delas.

Colocar limites significa deixar bem claro para os filhos como as coisas devem funcionar dentro e fora do lar. Em se tratando de filhos adolescentes, é importante que se converse previamente, explicando o porquê das regras, a razão lógica delas e, dentro do possível, fazer os combinados. Sempre que for possível, deve-se tentar a negociação; no entanto, quando não se chegar a um ponto comum, as orientações dos pais devem prevalecer. É importante que crianças e adolescentes sejam esclarecidos sobre as consequências de seus atos. Assim, quando eles transgridem as regras, já estão sabendo que deverão arcar com as consequências do que virá. Toda educação que não leva em conta o binômio "comportamento/consequência" não pode pretender formar adultos maduros e bem ajustados.

O excesso de proteção pode ser prejudicial aos filhos. Se um adolescente de quinze anos, por exemplo, pega as chaves do carro da família, o que é muito comum, e os pais pagam a multa por ele dirigir sem carteira de habilitação e nada mais acontece, com certeza, esse filho voltará a repetir o erro. Pais e filhos devem lembrar sempre que os remédios às vezes são amargos, mas necessários. A disciplina deve ser usada para levar nossos filhos a seguirem pelo caminho certo. "E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo; senão de tristeza; mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela". (Hebreus 12:11)

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias