Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 28 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE
Pmmc Sarampo

Leituras

26 MAR 2016 - 08h00

suami-cor_Preparando uma palestra sobre a Leitura, esses dias, fui retomando o tema de modo bem amplo, mesmo sendo para pessoas com curso universitário, sabemos que nem todos refletiram sobre isso.

"Ler", palavra que vem do latim "legere", nos direciona para o sentido de "percorrer com a vista", algo como chegar a interpretar o que está a nossa frente, tomar conhecimento. A palavra "ler" pode ser tão ampla que passaria até pelo fazer do professor, isto é, "lecionar". Ou, mais restritamente, poderia ficar em algo como decodificar, ou mais, perceber, ou seja, entender o que nos seja oferecido.

Com o estudo e a reflexão, ao longo do tempo, fui aprendendo que o que o Autor de um texto escreveu nem sempre é entendido como ele pretendeu dizer. O leitor é quem define, o leitor é quem "lê". O leitor é quem dá o significado do texto. E se o ser humano, com o passar do tempo vai mudando seus costumes, ele também muda os significados das coisas ditas, escritas.

Os livros sagrados nos contam histórias, exemplos, que os seus redatores desejavam que todos seguissem. Alguns desses exemplos foram trágicos. O impacto busca provocar no homem uma sensação mais forte e mais rápida, e assim, na sequência a sua racionalização, e, finalmente, a percepção do que lhe foi oferecido ao entendimento.

O trágico da Paixão de Cristo é impactante, claro. Mas ele não vem só com essa diretiva. Há muito mais exemplos oferecidos a serem seguidos nas palavras e nos atos de Jesus. O sofrimento e a dor não são para provocar a sensação de derrota, mas de aprendizado. Depois, os textos dizem que Jesus nos oferece a compreensão da vida eterna, com a Ressurreição. Que vem a ser a alegria, a Aleluia, do hebraico, "louvor a Deus", que tudo pode.

Há quem não creia nessa interpretação, evidentemente. E o que eu entendo, ou creio, pode não importar a outros. Mas, permito-me dizer que creio na existência de uma Força no Universo que sabe de tudo, antes e depois. Senhor. Já pude vivenciar tantas coisas que não consigo entender apenas como coincidências. Então, quem consegue perceber isso e seguir os exemplos de fraternidade entre os seres, tenho certeza, pode viver melhor, sim.

Por que então, deixar de comemorar a Páscoa? Como uma passagem que nos seja oferecida para irmos mais adiante, como o foi para os hebreus? Uma leitura nova, um alcance mais amplo que podemos ter para as nossas vidas.

O nosso País precisa disso, especialmente agora no momento que vivenciamos. Vamos nos dar as mãos nesta Páscoa, como irmãos. Juntos.Pode ser uma boa leitura.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias