Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Sexta 24 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/11/2017
mrv

Mais que palavras

14 JUN 2015 - 08h00

Atitude é a palavra do momento. Atitude é uma postura que se toma diante da vida, diante de situações muitas vezes difíceis. Atitude é escolha, é ação. Grande parte de uma atitude é determinada pelo que se pensa. O apóstolo Paulo escreveu sobre isso: "Pensem nas coisas que são verdadeiras, nobres, puras, amáveis, de boa fama, excelentes, dignas de louvor. (Filipenses 4:8) Decida pensar dessa forma, mantenha seu pensamento firme e verá a diferença. Maus pensamentos vêm a nossa mente, tentando nos desviar de nossos objetivos, de nossos valores. E nessas horas precisamos assumir uma atitude de enfrentamento. Podemos passar a vida inteira na mesmice, ou escolher marcar pessoas, deixando um rastro positivo na história. " Nós não podemos mudar nosso passado... nós não podemos mudar as atitudes de outras pessoas. Nós não podemos mudar o inevitável. A única coisa que nós podemos fazer é tocar com a única corda que temos, e isso é nossa atitude. Eu estou convencido de que a vida é 10% o que acontece comigo, e 90% como eu reajo a isso. Nós somos responsáveis por nossa atitude". (Dr. Charles Swindoll)

Algumas atitudes podem-nos levar a caminhos muito difíceis, que vão exigir de nós paciência, coragem, ousadia e perseverança. Provavelmente, não seremos compreendidos pelas pessoas. Seríamos capazes de confrontar um sistema religioso? Martinho Lutero fez isso. Ele se tornou um monge, achando que dessa forma evitaria a ira de Deus. Costumava flagelar-se com chicotes e dormir sem cobertores no inverno frio da Alemanha. Confessava todo e qualquer pensamento ou ato que pudesse ser maldoso. Tornou-se o professor mais douto na Bíblia em sua época. Mas ele continuava sentindo-se espiritualmente aflito por causa de seu medo de um Deus irado e julgador. Enquanto preparava palestras sobre os Salmos e, mais tarde, sobre a Carta de Paulo aos Romanos, ele descobriu algo que transformaria sua vida: ele não conseguiria ser perfeito. Deus o amava como ele era! Agora tinha certeza de que Deus o amava, não importando quão pecador fosse. "O justo viverá pela fé". (Romanos 1.17)

Lutero se sentia feliz pela primeira vez em sua vida. Começou a ensinar e pregar a justificação pela fé, criticando os métodos da igreja tradicional da sua época. Aconteceu o que era previsível. As autoridades religiosas não gostaram de suas ideias. Um sistema de recompensa de longa data exigia que as pessoas fizessem obras e pagassem para ter a salvação. As autoridades colocaram Lutero diante de uma clara decisão: negar tudo o que ele tinha dito e escrito (as 95 teses), ou ser expulso da Igreja, perdendo sua posição e talvez a sua própria vida. Lutero tinha que escolher entre seguir a Deus ou sujeitar-se ao sistema. Diante de um julgamento dramático em que várias autoridades estiveram presentes, Lutero olhou nos olhos dos seus acusadores e disse: "Aqui permaneço. Não posso mudar". Como resultado, foi expulso da igreja e precisou esconder-se num castelo longe dali, visto que queriam matá-lo. Todavia, sua visão de um Deus amoroso e perdoador acendeu uma chama que se transformou numa fogueira e culminou na reforma da igreja no século XVI. Martinho Lutero era um homem de atitude. Quantos estão dispostos a pagar o preço por atitudes que agradam a Deus, mas que desagradam aos homens?!



Sueli Barão

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias