Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Natal, repleto de fé, na família de Celina e Sebastião de Moraes

29 DEZ 2015 - 07h00

carmineÉ Natal! As famílias estão em festa, com presentes e tanta alegria.

É tempo de crer no Menino, no Filho da Virgem Maria e ao mesmo tempo, reconhecer as pegadas e os traços de Deus, na criança nascida em Belém. Neste tempo de Natal, há quem concentra o seu espírito na oração e na meditação do mistério divino, de um Deus Amor que quis surpreender a humanidade com a sua vinda na terra, fazendo-se como um de nós, homem como nós, menos no pecado. Há quem se solidariza com os pobres. Há quem se apega ao comércio, à propaganda e às lojas que inventam, sei lá, os seus natais.

Muitas famílias, conservam a memória de valores, tradições e práticas religiosas que vêm dos exemplos transmitidos pelos pais. É o que acontece com a família de Celina e Sebastião de Moraes. Antes de fazer a Ceia de Natal na Vigília do dia 24 de dezembro, o casal anuncia o início de um tríduo, de três encontros natalinos, realizados das 20:30 às 22:00, com a participação de toda a família, dos cinco filhos, das noras, dos genros e netos. Quando todos os membros, (no total de 24) chegam na casa do casal anfitrião, rezam o Terço e em seguida fazem uma reflexão sobre o Natal e aqueles que quiserem, dão um testemunho de fé. Esta prática religiosa, é a garantia de que a família caminha abençoada por Deus.

Diz a Isabel, esposa de Reinaldo, um dos filhos dos Moraes: ”As graças de Deus, vêm do Céu e trazem paz e bem a todos”. À Isabel une-se o filho Gabriel, um dos netos que diz: “Agradeço aos meus avós, que me fizeram compreender o verdadeiro significado do Natal, que a cada ano volta a nos dizer, como foi importante para a humanidade o nascimento de Jesus, Homem-Deus, que quis nascer na gruta e morrer na cruz.”

A família Moraes, nos ensina como viver o verdadeiro Natal e como chegar à harmonia, à alegria, à paz e ao bem. Diz Sebastião o anfitrião da família: “A reza começa à noite, quando todos acabam de chega, inclusive a minha filha Ana Lúcia que volta do trabalho, para poder participar”.

Natal é tempo de graça, de paz, de união familiar.

Dizer que estamos no Natal e se esquecer que o Aniversariante é o mesmo Deus, que nasceu e se fez como um de nós, significa celebrar o evento natalino, sem esperanças novas, sem interesse de querer resgatar a imagem do homem velho e torna-lo à imagem de Deus.

Por um instante, os olhos e os pensamentos de todos deveriam se dirigir a Ele, ao Filho da Virgem, que era e continua a ser a única esperança para implantar no mundo a verdadeira civilização. Somente Ele pode inundar a Terra de luz, de amor e paz.

Há clamores, lágrimas que revelam a grande pobreza espiritual que existe nas famílias.

Não é assim na casa dos Moraes, porque nela o cenário não é feito apenas de presentes, ceia, árvore e luzes coloridas, pois sabemos que quando os membros da família rezam, eles são abençoados.

Enfim, após ter transformado o tempo de preparação ao Natal, em tempo de graças e de bênçãos, para todos os membros da família, o Senhor se faz presente, também na Ceia familiar, animada pelas músicas e melodias natalinas.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias