Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 26 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/10/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
SOUZA ARAUJO
Pmmc Sarampo Outubro
PMMC OUT ROSA
PMMC COVID VERDE

O tempo de Deus

03 ABR 2016 - 08h00

SUELIQuando enfrentamos situações difíceis, julgamos que a mudança de ambiente vai nos ajudar. Colocamos a culpa na casa, no bairro, na cidade, no círculo de amigos, no local de trabalho; enfim, o ambiente não nos favorece. Se mudássemos de lugar, o problema estaria solucionado. Assim pensamos porque é mais cômodo fazer mudanças externas que internas. Mesmo que mudássemos de cidade, por exemplo, ninguém garante que não teríamos que enfrentar problemas semelhantes, em maior ou menor escala.

Talvez o lugar onde você se encontre agora seja indesejável. Você sempre sonhou com outra realidade, por isso não aceita estar onde está, ou passar pelo que está passando. Por que as coisas não mudam? Você chega quase à revolta ou ao desespero.

Convido o leitor para pensar um pouco na vida de José do Egito e parar nos anos em que ele esteve na masmorra. ( Gênesis 39 e 40) Seria demais para qualquer um de nós, não é mesmo? Mas existem as "masmorras" de todos os dias nas nossas vidas. Sentimo-nos imobilizados e, por mais que lutemos, não conseguimos desatar as amarras. Estará Deus nisso tudo? Como José pôde resistir aos anos de abandono, solidão e sensação de fracasso? Em primeiro lugar, mesmo sofrendo, José podia enxergar o plano de Deus onde se encontrava. - "Deus está comigo. Ele está cuidando de mim, não me abandonou. No tempo certo, Deus vai intervir e mudar a minha sorte". Só quando puder relaxar e ver Deus em sua localização, você será útil para ele. Uma atitude positiva de fé fará maravilhas na sua posição geográfica.

Em segundo lugar, José sentia Deus na situação que estava vivendo. Certamente, ele não começava o seu dia perguntando: "Por que tenho de permanecer nessa situação? É terrível estar nesta masmorra. Se Deus me amasse de verdade, Ele não    permitiria isso". Em vez disso, José preferiu crer que aquele era um tempo de Deus para a realização de um propósito. Não há nada como uma atitude de gratidão para nos libertar da amargura.

Por último, José, pela fé, aceitou a sua localização e a situação como positivas, mesmo tendo sido vítima da maldade humana. Sabemos que José não merecia estar numa prisão. Ele foi injustiçado. Todos o abandonaram. Mas Deus tornou toda a desgraça em bênção. Depois daqueles anos na prisão, José foi grandemente honrado em todos os sentidos. Esperar é difícil para todos nós. Mas precisamos esperar, crendo no que está escrito em Romanos 8:28 - "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito".

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias