Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 24 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE
Pmmc Sarampo

Os ‘11 de Agosto’

13 AGO 2016 - 08h00

suami-cor_Em 1968 assumi o Centro Acadêmico “22 de Agosto”, da Faculdade Paulista de Direito, da antiga Universidade Católica, hoje conhecida como PUC-SP. Era um momento difícil para os estudantes, não só do Brasil, mas do mundo todo. Destaque-se a Sorbonne, Paris, e Berkeley, Califórnia. Como lá, também ocupamos a Faculdade, sem deixarmos uma sujeira ou pichação. Também foi ocupado o Direito da USP, cujo Centro Acadêmico, o “11 de Agosto”, era dirigido pelo hoje Senador Aluísio Nunes Ferreira. Aliás, tanto ele quanto eu, tivemos de sair do País, em 1971, por razões de segurança. Mas aqui e agora não vamos ficar lembrando coisas antigas e difíceis. Vamos a outro enfoque.

Sempre fizemos as comemorações do Dia 11 de Agosto, data de criação e instalação dos estudos jurídicos no Brasil. Como citei antes, com esses dois Centros Acadêmicos, comemorávamos o “33 de Agosto”, em competições esportivas e festas. Gostávamos do “33”, pois alargávamos as possibilidades de nossa comemoração em 11 dias.

E um destaque de 11 a 22 de agosto era o que chamávamos de “Dia do Pindura”. Assim mesmo, se o verbo em Português correto é “pendurar”, usávamos uma expressão de brasilidade, com “i” mesmo. Nessa ocasião, nós, estudantes de Direito, ao irmos a um restaurante e se não “conseguíamos”, ou não “podíamos”, ou mesmo, reconheçamos, se não “queríamos” pagar a conta, “sugeríamos” que “pendurassem” o valor dos custos. Na época os restaurantes espetavam, penduravam, num quadro as notas das contas devidas em fiado. Mas, evidentemente, fazíamos um agradecimento formal e solene ao estabelecimento “por nos prestar tão bela homenagem” ao comemorarmos aquela histórica data.

Íamos de terno e gravata. Aliás, essa era a maneira como assistíamos às aulas. Lembro que na minha Faculdade havia um professor muito gentil, na época um Deputado Federal, único a aceitar que soltássemos o botão do colarinho e um pouco a gravata. Depois ele tornou-se Governador do Estado, hoje dá nome ao nosso Aeroporto Internacional, o amigo Franco Montoro.

Verdade, alguns gerentes chamavam a polícia. E uns tantos iam presos. E na delegacia acabavam recebendo broncas dos Delegados, por serem tolos de se deixarem prender, quebrando uma tradição. Alguns até impunham o ressarcimento da dívida, obrigando a “vaquinha”.

Soube que o “pendura”, um mau exemplo, certamente, acabou nos dias de hoje. Podemos comemorar essa nossa data de maneiras mais felizes para muito mais gente. Como é o caso de hoje, aqui.

Parabéns a todos, a todos nós! Viva o Dia 11 de Agosto!

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias