Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 22 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

Os Anjos da Noite visitam os que dormem na rua

31 JUL 2015 - 08h00

Hélio Tavares de 47 anos foi encontrado morto às 7 horas da manhã, há mais de um mês, na Praça dos Expedicionários em Suzano. Tinha perdido a capacidade de sonhar um mundo melhor e vivia mergulhado no alcoolismo e quando bebia, perdia a noção de si mesmo, da sua casa e da sua família. O destino foi para ele pesadamente, fatalmente e irreversivelmente cruel.



Na noite, de 15 de junho, caído no chão, esperava passar o efeito do álcool, para acordar. Não acordou, pois, o seu coração parou de bater durante à noite, por causa do frio que causou hipotermia e congelamento do sangue.

Não houve quem o socorresse. Bem sabendo que nestes casos, quando uma pessoa está caída no chão e fora de si, numa noite de frio, em lugar sem cobertura e sem cobertor, os populares podem chamar a Central de Atendimento da Polícia, dos Bombeiros ou do Samu. A morte de Hélio foi noticiada nos jornais do município e nas redes sociais, empobrecendo o prestígio da cidade.

Há necessidade, que a Prefeitura instale mais abrigos comunitários para os andarilhos. Se há casamentos comunitários, restaurantes comunitários, que haja também mais abrigos e banheiros comunitários. Neste período de baixas temperaturas, a hipotermia já levou muitos indivíduos à morte no Estado de São Paulo.

Foi celebrada uma Missa de sufrágio em memória de Hélio, no sétimo dia de falecimento. Porém, além da Prefeitura, também as Igrejas, neste caso, perderam a chance de salvar uma vida.

Muito valioso, porém, é o serviço dos anjos da noite, que saem das Igrejas e circulam pelas ruas da cidade, socorrendo e distribuindo comida e cobertores aos andarilhos, reduzindo o número de mortos por hipotermia.

Quando a cidade resta silenciosa, sem nenhum veículo, apenas com os moradores de rua deitados no chão, os anjos da noite, cheios de fé e dignos de amor, andam pelas ruas com as mãos estendidas para os irmãos que estão gemendo e tremendo de frio. Celebram a vida, o amor, a fraternidade, a caridade, irradiando de luz o coração dos que são indesejados pela sociedade.

Deitados sobre a pedra rude e dura, o repouso e o descanso devem ser também esmagadores. E não se trata apenas de uma dezena de moradores de rua, são centenas, pois somente à noite é possível contar tanta gente amontoada, dormindo em cantos diferentes da cidade. O retrato desses lugares é triste e de total abandono.

Como não sonhar um leito, uma casa e um companheiro ou uma companheira? Tudo perdido! É o fracasso da família, da sociedade e do ser humano. O Governo cobra impostos para assistir e pagar a pensão aos presos, aos quais oferece alojamento, comida e assistência médica e deixa os irmãos de rua morrer no chão.

Grave responsabilidade pesa sobre os que administram os serviços públicos da cidade.

Está chegando o tempo das eleições e muito bem, Gil Fuentes advertiu os eleitores, na sua coluna, para "pensar 10 vezes - e se for preciso 100 vezes- antes de votar. Isso, em todas as esferas, federal, estadual e municipal, pois, os candidatos antes das eleições agem de uma maneira e depois de empossados mostram quem realmente são".

Caro leitor, capte bem o que acontece, hoje, na cidade e no Brasil.

O desafio é viver um futuro que não seja a repetição do presente e nem a negação de tudo aquilo que o povo quer ver realizado. Parimos esperanças e sorrimos por um futuro novo.



Padre Carmine

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias