Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Sábado 25 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/11/2017
mrv

Quanta atrocidade

07 ABR 2015 - 08h00

Muitas mudanças ocorreram em minha rotina diária desde o último artigo publicado.

O encerramento das atividades do escritório de despachante da família, que por mais de sessenta anos atuou na cidade, a transferência de meu escritório para novo endereço, o casamento de minha filha... Sua mudança para outra cidade... Um turbilhão passou por mim e mudou tanta coisa que mal encontrava tempo para engrenar minha rotina diária, agora totalmente alterada.

Sequer tive tempo para sofrer com a "síndrome do ninho vazio", que disseram faria parte do meu cotidiano...

O único hábito que não abandonei foi o da leitura diária de jornais, as revistas e acompanhar, sempre que meus horários permitem os noticiários da televisão. O último ainda está ecoando em meus ouvidos, o copiloto que levou para a morte no alto dos Alpes franceses mais de uma centena de pessoas... Por quê? É a pergunta que não cala.

Terroristas em nome de Deus degolam todos aqueles que acreditam colocar em risco os ensinamentos de suas cartilhas religiosas... Sejam homossexuais, sejam estrangeiros que consideram inimigos, sejam crianças, homens, mulheres ou mesmo compatriotas... O número de vítimas é sempre crescente... Infelizmente. Um horror no meu entender... Uma triste realidade para aceitarmos com a mesma simplicidade com que usam suas facas afiadas para ceifar vidas num só golpe. Não há o que se falar também da destruição de monumentos históricos de mais de três mil anos, como se tais relíquias para a humanidade pudesse afrontar ou causar qualquer dano ao movimento religioso (?) do qual fazem parte e que vem tomando conta do oriente...

Turistas são mortos no interior de um museu numa visita cultural... Por quê?

Mais uma vez não conseguimos entender a resposta vazia e sem fundamento, afinal as vidas humanas perdidas não serão recuperadas, os traumas causados são profundos...

Lendo a revista Veja, me deparo com o artigo de Ivan Ângelo "Em nome de Deus" e suas ideias são parecidas com as minhas e talvez com a maioria das pessoas...

Tanta crueldade praticada em nome da religião... Que deveria motivar o entendimento, a paz, a união entre os homens é a justificativa para guerras, mortes, decapitações... Deus por essa forma de agir daqueles que foram feitos à sua semelhança se torna um ser cruel e injusto... Será? Certamente que não!

Essa crueldade, injustiça e a maneira incorreta de interpretar as leis é típica dos seres humanos, passivos de erros e malfeitos...

Entretanto justificar tanta crueldade e violência que impera em certas partes do mundo a religião e a aplicação dos ensinamentos do Criador do universo é inaceitável para aqueles que seguem de fato as leis do Mestre!

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias