Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 29 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/10/2020
PMMC OUT ROSA
Pms Coronavírus - Fase Verde
Pmmc Sarampo Outubro
PMMC MULTI 2020
PMMC COVID VERDE

República e Suzano

14 NOV 2015 - 07h00

suami-cor_Nossa Suzano e a República tem muito em comum.

Nossa Cidade tem duas formações. Inicia com uma pousada no final de 1500 (depois da fundação da Vila de São Vicente) na antiga trilha dos indígenas para subir do litoral a nossa Região. Próximo, foi descoberta uma jazida de ouro de rio, no início do século XVII (1600). Não era tão grande, mas, para uma província colonial extremamente pobre, recebeu logo designações de autoridades do Reino. E no início do século XVIII (por volta de 1720) foi dado ordem para a edificação de uma capela, em honra a Nossa Senhora da Piedade, o que demonstrava já haver bastante gente no local e, certamente, alguns conflitos que precisavam ser acalmados pela Igreja. Esse local em fins do século XVIII, acaba sendo identificado com o nome do mais rico fazendeiro do lugar, Baruel. Em meados do século XIX, a expectativa era de amplo desenvolvimento do local. Já havia expectativa da passagem da estrada de ferro pelo local, em direção ao Rio de Janeiro, com ligação, por Rio Grande da Serra, onde circulava a Ferrovia Santos-Jundiaí. O local desenvolveu bastante, em 1870 foi instalada a primeira escola da região, junto à capela do Baruel, e ali já havia treze estabelecimentos comerciais.

Ocorreu que os ingleses ganharam a licitação da Ferrovia São Paulo-Rio. E foi mudado o traçado, já o mesmo atual, passando, em linha reta, por Mogi das Cruzes, finalizado em 1875. Foi feita uma Parada de trem, denominada Piedade, em homenagem a Capela do Baruel. Essa parada depois se torna estação, que no início do século XX recebe o nome de Suzano, em homenagem ao engenheiro da Ferrovia que manda construir uma estação de alvenaria no local. Junto a essa Estação é planejado um arruamento, que vai receber o nome de Vila da Concórdia, autorizado pelo Governo Federal, já republicano, em 11 de dezembro de 1890. Os nomes das principais ruas são dos chefes republicanos. Isso indica que, primeiro, os líderes locais, aparentemente, apoiavam as ideias republicanas; segundo, a escolha dos nomes foi fundamentalmente sobre líderes maçônicos. E sabemos que já havia membros da Maçonaria na Região. Aliás, a primeira Loja da Maçonaria em Mogi das Cruzes já completou os cem anos, uns vinte e poucos anos depois da criação do nosso Vilarejo.

Importante também finalizar com o destaque para o nome, Vila da Concórdia, de tanto significado positivo. Hoje, a nossa Suzano, ainda deseja ser de Concórdia, como sempre pregou a Maçonaria. Um símbolo.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias