Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 20 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/09/2020
PMMC COVID LAR
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Santo Elias venerado em Suzano na Paróquia de São Charbel

08 JUL 2016 - 08h00

carmineSanto Elias exerceu seu ministério de profeta, no século IX A.C. Elias não é um personagem do passado, está presente no longo e penoso peregrinar, do povo de Israel e na vida das comunidades do Novo Testamento. Na leitura dos Textos Sagrados que falam dele, a Igreja recebe exemplos maravilhosos, de coragem, amor a Deus e ao povo de Israel. Está vivo na piedade dos cristãos, do Oriente e do Ocidente, como também, na fé dos muçulmanos.

Com frequência, muitos se perguntam qual foi o monge que morou primeiro, num lugar solitário. Alguns encontraram seu começo, no beato Elias e em João Batista. Acredita-se que foram eles que estabeleceram as primeiras bases deste afastamento da cidade, para lugares, às vezes, inacessíveis. No Santo Elias, se inspirou São Maron, no século IV, quando decidiu se retirar para viver na montanha. Além do mais, na vida de Elias, encontram-se os principais exercícios dos eremitas: a solidão, o jejum e a oração. A igreja, celebra a memória de Santo Elias no dia 20 de julho. Na proximidade da festa do Profeta, será celebrada uma Santa Missa, no rito Oriental, na Matriz de São Sebastião, no próximo dia 15 à 19:30 horas.

Enquanto todos os católicos do Ocidente, fazem parte da Igreja Católica Romana, e celebram a Santa Missa e os outros sacramentos, conforme o rito romano, os católicos da Grécia, da Síria, do Líbano, da Jordânia, guardam em seus países e nos países onde emigraram, a pertença à Igreja Católica Oriental, que no Líbano é chamada também, de Igreja Maronita. É a maior Igreja Católica oriental. A Igreja Católica da Síria, é a segunda maior Igreja Católica Oriental. Tem uma população de cerca de 3,8 milhões de católicos (dos quais 2,9 milhões vivem na Índia). Todas as Igrejas Católicas Orientais estão em plena comunhão com a Sé Apostólica de Roma, ou seja, reconhecem a autoridade do Papa, o Sumo Pontífice da Igreja Católica.

A Igreja católica do Líbano, celebra a Santa Missa com um rito próprio, um pouco diferente, da Missa celebrada no rito romano. A Divina Liturgia Eucarística da Igreja Libanesa Maronita, foi escrita por São Maron, por isso é chamada Missa Maronita, permanecendo iguais, as palavras pronunciadas por Jesus na Última Ceia, porém, proferidas na língua aramaica, falada ao tempo de Jesus.

Em preparação à festa de Santo Elias, cujo culto não tardou em ultrapassar os confins da Palestina, sendo muito venerado pela Igreja Católica Maronita, pelos judeus, pelos muçulmanos e também, por todos os católicos. Saibamos vivenciar, o espirito de oração, que animou a vida do Santo. É um orgulho para a Europa, ver os seus filhos que foram canonizados, serem venerados no novo Continente Latino-Americano. Da mesma forma, os países do Oriente ficariam orgulhos, se também os seus filhos, nascidos no Oriente, tendo vivido santamente e sendo declarados Santos, pela igreja, fossem conhecidos, venerados e adotados como padroeiros, das paróquias e das comunidades, no Brasil e em outros países da América Latina. Em vista desta proximidade com a Igreja Católica Oriental, a Diocese de Mogi das Cruzes, criou em Suzano, a Paróquia dedicada a São Charbel, localizada na Praça João Pessoa, unida à Paróquia de São Sebastião. Ainda está no começo, mas poderá crescer tendo ao seu serviço agentes de pastoral e novas estruturas. A idioma oficial do rito maronita é o árabe, porém, no Brasil se reza a Missa também na língua portuguesa.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias