Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

Tem Vezes...

09 JAN 2016 - 07h00

suami-cor_Tem vezes em que penso no Natal com a inocência de uma criança. Papai Noel vai trazer um presente. Uma coisa que vai me ocupar nas férias escolares. Ah, isso trazia tanta esperança ao coração infantil, enchia de alegria.

Tem vezes em que penso no nascimento de Jesus. Uma criança que chegava trazendo tanta esperança aos corações. Mesmo que saiba do seu sofrimento trinta e três anos depois, sei que também devemos ter coragem de perdoar o mal e propor o bem, e praticar o bem. Sei também que isso não é fácil, nem mesmo esquecer o sofrimento passado.

Tem vezes em que fico pensando que tive muita sorte em alcançar tanta coisa que pretendi na vida. Apesar de saber que o Divino pode nos proteger em certas circunstâncias. Como sei também que sorte é quando trabalhamos bem mais.

Tem vezes em que penso que muitas das pessoas acham que são mais felizes porque se acham, ou se sentem, espertas. Como penso no sofrimento dos pais que receberam telefonemas dizendo que aconteceu o incêndio da boate de Santa Maria, ou do ataque terrorista na boate em Paris, onde seus filhos estavam, ou que um filho morreu porque não tinha mais do que cinquenta reais para dar ao assaltante. Tantas pessoas acham que fatos trágicos desses não acontecerão jamais com elas. Ou se já aconteceu, esqueceram.

Tem vezes em que me deslumbro a mirar o mar, como um horizonte infinito que se embalança a nossa frente. E que assim é mesmo a vida. Pode acabar logo adiante. Pode se alongar muito além do agora. Sei que assim me foi permitido. Carpe diem, "viva o agora", por muitos anos vivi só o presente para mim. Dizer mais que isso só nos leva a sermos vistos como pretenciosos.

Tem vezes em que não estou frente ao mar. Fiquei pensando nisso tudo ao olhar nossa Cidade do alto do morro Boa Vista. Não era o mar, mas um ainda bem largo vale verde, onde ziguezagueia em curvas ousadamente sinuosas o Rio Tietê, ainda em seu princípio. Mirava a paisagem, tantas vezes fotografada, como a linda, feita pelo amigo fotógrafo Carlos Magno, que com carinho mostra seu amor pela Cidade. Foto que publiquei, como um poema visual entre os meus poemas textuais no livro "Aprendiz de Encantamento", que já estão me pedindo uma segunda edição.

Tem vezes em que não podemos deixar de pensar nos outros. Pensar no bem dos outros. E nos damos conta de que mais ainda podemos fazer de bem. Basta observar o quanto podemos e o quanto tantos precisam. Essa é uma boa, uma bela oportunidade.

Tem vezes em que é preciso mirar esse presente ou esse futuro.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias