Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Todo Dia

10 OUT 2015 - 08h00

suami-cor_Quando era pequeno sempre achei que todo dia, todos os dias, era, eram, Dia da Criança. Muito provavelmente, achava que as crianças eram o Centro do Mundo.

Está certo, já tive tempo e pude descobrir que ninguém é o Centro do Mundo. Hoje até sei mais, que o nosso País, onde nascem tão poucas crianças, as pessoas envelhecem bem mais. E tantos dos nascimentos não são, exatamente, desejados, planejados pelos pais, tantos são, sei lá, algo como “acidentes de trabalho”.

Que pena! As crianças são gente tão encantadora. Sei por mim, o quanto meus filhos me encantaram, me transformaram, me fizeram alguém melhor. E hoje com duas netinhas, e uma terceirazinha, que proximamente vai surgir, sei que as crianças persistem a me encantar, dominantemente.

Sei que estamos, ainda, muito despreparados face a multidão de idosos que vai ocupando todos os nossos espaços, com tão pouco planejamento. E tantas pessoas reagem como se, de fato, isso não estivesse acontecendo em forte realidade.

E vejo as crianças e os idosos se afinarem bem mais, se ligarem muito mais. Mas tantos parecem fingir que não é bem assim. E esses dois extremos de idade ficam como que secundarizados.

E os jovens vão “permanecendo jovens”, prolongando no tempo, mesmo que sem a idade cabível. Vemos adolescentes trintões, até quarentões.

Vemos jovens que não viveram a juventude na época própria. E eles “continuarem” como que retardando as suas fases da vida pelo tempo indevido.

Sinto uma certa tristeza por essa juventude “perdida”, “indevida”, sei lá... E sinto as crianças “envelhecendo” muito rápido. Não vivendo aquilo que um dia, na minha geração, sentíamos como infância. Não quero ver tristeza. Mas as gentes vão vivendo tempos diversos dos seus próprios. Muito mais rápido tantas crianças passam para a bipolaridade, da tristeza para a alegria, da adolescência sem programa de tempo.

Aquilo que disse, todo dia é dia da criança. Como todo dia é dia do idoso. Todo dia é dia da pessoa. Esta semana um amigo me enviou uma mensagem, “era o dia da pessoa especial para mim”. E sei que as pessoas que me são especiais o são todos os meus dias. E acho que é assim para todo mundo.

Enfim, queria ver mais crianças brincando com mais crianças, rindo mais. A criança pode rir mais fácil. Soltar suas gargalhadas estrondosas. Criança tem de ser feliz, se contentar com o que tem, com o que alcança. E os mais velhos ficarem felizes pelas crianças serem crianças. Tão bom isso!

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias