Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 09 de março de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 07/03/2021
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
CENTRO MÉDICO

Um gosto da vida

20 AGO 2016 - 08h00

suami-cor_Esta semana estive com uma pessoa que admiro muito: o Maestro João Carlos Martins. Uma estrela da música, nacional e internacional. Cada vez que o encontro um encanto. O dia anterior foi muito cansativo, como volta e meia acontece. Pois numa daquelas "coincidências", li matéria que falava do Maestro, um exemplo de luta pela vida. Sua lembrança afastou-me a canseira. Quando nos vimos, desta vez, disse-lhe isso. Ele simplesmente me abraçou com aquele seu sorriso carinhoso, estimulante.

Pois assisti a apresentação de seu Projeto "A Música Venceu", desenvolvido pela sua Fundação Bachiana, com o apoio da Clariant, na escola, outra "coincidência", que leva o nome da minha sogra, Profa. Jussara Feitosa Domschke, em Suzano(e lembrei de uma frase de Joyce Meyer: "Tantos acontecimentos na vida que pensamos ser coincidências, são na realidade ordenanças de Deus" Só pra pensar). Nesse projeto, crianças são orientadas em direção à música. Já formam uma orquestra de câmara, que havemos de levar a se apresentar por mais espaços. Preparem-se. E mais naipes, além de cordas. E também coral. Maravilha!

Imaginem isso sendo aplicado diretamente a bem mais de dez por cento de todos os alunos da escola! Então, pensem no que um projeto desses faz, levando outras tantas crianças, adolescentes e jovens, de muitas outras escolas, como de fato faz por esse nosso país a fora! Coisa que não pode parar. Nunca! Também não consigo parar de lutar por tais empreendimentos.

Logo após os alunos, tivemos o presente da apresentação da OrqustraBachiana, regida pelo Maestro João Carlos. E ele tocando o seu piano, com todo o esforço que sabemos isso lhe exige, mas não com menos vontade. Trouxe-nos Mozart, como Piazzolla e mesmo, homenageou-nos, suzanenses, paulistas, com Adoniran Barbosa. Com certeza a música dita clássica, como a dita popular, por suas formas de sensibilização, acabam tomando as pessoas, de todas as idades, de todos os níveis sócio-econômicos. A música acaba envolvendo a todos, saibamos ou não sobre música, tenhamos ou não o gosto educado. E todos os presentes, como sempre reage o público do nosso Maestro, fomos emocionados, envolvidos.

Quando o Maestro saia, após a apresentação, disse-me: "nunca deixe de escrever, não desista". Isso Maestro, nunca! "Logo envio-lhe o meu próximo livro"! Respondi.

Comecei esta crônica, faz pouco, e lembrei-me de uma frase de Leonard Bernstein, que disse não haver nem música "clássica" nem música "popular", mas música "boa" ou "ruim". Exemplos bons, ou não...

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias