Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/11/2017
mrv

Uma forte presença

09 AGO 2015 - 08h00
‘’O tenista Gustavo Kuerten, o Guga, era um ilustre desconhecido, embora já gostasse do tênis. Seu pai, um dia, chegou para o técnico Larry e disse: "Treine meu filho, porque ele vai ser um campeão." Algum tempo depois, o pai de Guga morreu. Mas o técnico Larry foi fiel ao seu compromisso. Treinou Guga arduamente. Guga tornou-se um campeão, tal como seu pai havia predito. A presença de um pai é muito importante na vida dos filhos, muito embora não se defenda muito essa ideia hoje em dia. Li há alguns anos, na Folha de São Paulo, uma reportagem, cujo título era "Fome de pai", que tratava dos reflexos da ausência da figura paterna na vida de crianças e adolescentes.

Pai é a pessoa que ama, protege e corrige os seus filhos. É figura de autoridade. Os pais deveriam ter um amor parecido com o de Deus. Mas nem sempre é assim, infelizmente! Os pais são de carne e osso. Eles falham. Mas um pai faz muita falta! É uma parte da gente, ou a gente é parte dele? Tanto faz. Pai é pai. A gente só quer ter um bem pertinho para nos apoiar, nos corrigir. Se eles soubessem como são necessários... Neste dia há muitos filhos chorando, porque os pais já se foram. Há muitos pais chorando, porque seus filhos não estão mais por aqui.

Mas essas pessoas queridas estarão sempre em nossos corações. O que elas representam para nós nunca terá fim.

Aproveito para compartilhar uma pequena história com o leitor: "O menininho acordava à noite, no meio da escuridão, e gritava: "Papai, papai, segure minha mão, tenho medo do escuro". O pai ia até a cama do filho, acendia a luz, segurava fortemente as mãozinhas do menino e ficava ali até que o filho voltasse a dormir. O menininho queria apenas saber se ele estava por perto. Os anos se passaram, o pai morreu, e o menininho, agora um homem, já tinha a sua própria família. Encontrava-se no lugar de seu pai. E tal como o pai sempre fizera, desejou estar perto de seus filhos - não apenas um nome na certidão de nascimento, mas uma presença forte, calorosa e amorosa em suas vidas. O maior bem que os pais podem deixar para seus filhos é o amor. Só o amor é para sempre!

Sueli Barçao

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias