Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 04 de dezembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 04/12/2020
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades - Dezembro
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades 02 - Dezembro

Vítimas de violência...

27 OUT 2015 - 07h00

lorena-burger-jurada-do-c-de-cronica-frrNas últimas horas vi na televisão, nos comentários de jornais e até mesmo na internet a volta de um assunto     que é rotina na vida de muitas mulheres... A violência...

Desde muito pequena via nas vizinhanças, sem entender muito, as brigas de casais e a consequente agressão por parte daquele que se considerava mais forte, o homem sempre terminava as agressões verbais com uma sequência de tapas, murros, chutes e até mesmo surras com cintos...

Cresci e apesar da maneira como as demais pessoas viam aquelas situações eu não conseguia me conformar em ver um ser humano ser agredido e ninguém o defender.

Morando no interior de São Paulo, presenciei uma situação assim, com inquilinos de meus pais que moravam numa casa nos fundos de nosso quintal... Quando vieram alugar, me encantei com aquele casal, eles andava numa motocicleta imensa, jaquetas de couro, bonitos, jovens e pais de duas crianças bem mais novas que eu...

Eu só ficava em casa na parte da tarde, mas várias vezes ouvia as discussões do casal, que eram muito frequentes, sempre com janelas fechadas e pouco se ouvia, somente percebi que as crianças, haviam sido levadas pelos avós, logo após passarem a morar ali, com a desculpa de que os pais trabalhavam fora o dia todo...

A motocicleta, reluzente, que me fazia lembrar Elvis Presley e os filmes da época ficava estacionada na varanda da casa deles e só saia nos finais de semana. Quando saiam ela estava sempre com um chalé encobrindo a cabeça, mal nos olhava enquanto ele todo sorridente cumprimentava meus pais e saia desejando um bom final de semana... Voltavam invariavelmente à noite e tudo ficava em silêncio...

Depois de certo tempo percebi que após uma briga maior e com mais barulho, somente ele saíra cedo para o trabalho, quando voltei da escola vi uma sombra na janela, comentei com a senhora que ficava conosco em casa, mas ela dizia que nada vira. Passei a obervar com mais cuidado e logo ela se mostrou, pedindo ajuda... Tinha várias marcas no rosto e me disse que estava trancada.

Contei para minha mãe que insistiu e meu pai pediu que a polícia viesse. Ele foi obrigado a abrir a porta, a cena era terrível, ela nua, toda ferida e ele impassível, com um olhar furioso para mim, pois, certamente sabia que eu o havia denunciado...

Saiu algemado e ela foi internada. Nunca mais os vi, mas essa imagem nunca saiu da minha memória.

Esse é um assunto que daria facilmente para escrever um livro, mas, a ideia é que as pessoas se conscientizem... Violência doméstica existe sim, é mais frequente do que se possa imaginar e pode estar acontecendo bem aí... Ao seu lado... O mundo evoluiu, mas muita gente ainda pensa que é dono do outro, senhor, e pode bater e maltratar... Já é tempo de todos ajudarmos para evitar que isso ocorra com tanta frequência... Denuncie... Briga de marido e mulher, se tiver agressão é responsabilidade de todos...

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias