Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

Você sabe lidar com problemas ou enfraquece com eles?

14 JUL 2015 - 08h00

Um homem de quase 60 anos, deficiente visual, voltava para casa após assistir culto religioso. Conhecia bem o percurso pois frequentava essa mesma igreja há pelo menos 4 anos. Ele não precisa de auxílio de outra pessoa, usava uma bengala, assim conseguia perceber e sentir todos os obstáculos do caminho. Procurava reconhecer pontos de referência para ter certeza que estava na direção certa.

Naquela noite, uma mudança significativa havia acontecido em seu trajeto habitual. Um pequeno arbusto, que lhe servia de indicação para dobrar a direita, havia sido arrancado por um vândalo. Dado o avançado da hora, não havia para quem pedir informações, então, o homem perdeu o rumo.. Tentou de todas as formas encontrar o caminho, mas quanto mais andava, mais se afastava da residência. Só percebeu que estava muito longe de onde morava quando notou estar em uma ponte sobre o rio que separava sua cidade da cidade vizinha.

A madrugada estava fria; era preciso encontrar rapidamente o caminho de volta para não se resfriar. Mas como conseguir sem auxílio da visão?

Em dado momento, uma voz trêmula de mulher disse: "O senhor está com alguma dificuldade?". "Sim, estou perdido... não sei qual direção tomar para meu bairro. Imediatamente, a moça se ofereceu para levá-lo até a porta de casa.

O homem lhe deu o endereço, e ela, oferecendo-lhe o braço, conduziu-o até o lar. "Não sei como lhe agradecer", falou o cego. "Eu é que lhe devo um agradecimento", respondeu ela. "Não compreendo", retrucou o homem. E a mulher explicou: "Há uma semana meu marido me abandonou. Eu estava naquela ponte para me suicidar quando o senhor surgiu vagarosamente, sem rumo, tateando com a bengala; isso me fez mudar de ideia".

Amigo leitor, é curioso como algumas pessoas encaram determinados problemas como se fossem casos de "vida ou morte". Acabam supervalorizando o ocorrido, dando dimensão e proporção descabida e exagerada. Agindo assim, se deprimem, abusam do uso de drogas lícitas ou ilícitas ou até tentam o suicídio. Posso garantir que todas as pessoas tem um ou mais problemas ou barreiras a serem superadas. Mais importante que a dificuldade a ser enfrentada, é a maneira como se encara a situação. Tem gente que se coloca na condição de vítima. Outros brigam e discutem com Deus e reclamam do abandono. Não podemos esquecer daqueles que passam a acreditar que seu destino neste plano astral é o sofrimento.

O outro lado da moeda mostra as pessoas que focam a energia na solução e não no problema em si. Com essa atitude, encontram a solução no momento certo, se fortalecem emocionalmente e ficam prontas para lidar com qualquer nova adversidade.



Jorge Lordello

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias