Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 14 de outubro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 11/10/2019
Villa Europa
Secom Segurança
CENTERPLEX 11/10 A 18/10
COLUNA

Suami Paula de Azevedo

É escritor, responsável pela Mirambava Editora, palestrante e professor universitário. E-mail: suamiazevedo@uol.com.br

Data Magna Paulista

06 JUL 2019 - 00h01
Mais adiante, em 9 de Julho, comemoramos em São Paulo a nossa Data Magna, conforme Lei Estadual. É a data mais importante de nosso Estado. Já lutei bastante, sem maior sucesso, para que por todos os cantos paulistas comemorássemos. Bem, ainda não desisti. 
Por isso o significado dessa data deve ser conhecido. Vem da luta de 1932 pela Democracia, Constitucionalidade, Liberdade, pontos fundamentais para todo cidadão. Os paulistas lutaram com e por suas vidas nesses temas. Assim, temos de celebrar mesmo.
Ninguém nasce sabendo história, ela deve ser ensinada, tanto em casa, de pais para filhos, como, evidentemente, na escola como prática real. Sei que hoje tudo isso parece “chato”. Até nossa Cidade de Suzano tem Legislação que obriga o ensino de História Local. E daí? Quem sabe algo? Então, como cobrar a História do Estado? Mas ainda entendo que todos os que sabem devem repassar aos demais nossa História e nossos Valores.
A 23 de Maio de 1932 tivemos a morte de 4 jovens (MMDC), por tropas do governo, depois mais um quinto jovem veio a falecer. A luta armada da Revolução Constitucionalista, se estende do dia 9 de Julho a fins de Setembro daquele ano, atingindo também o Alto Tietê. Muitos pelotões se alojaram por aqui antes de partirem às batalhas nos limites com os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.
A Antropologia nos ensina que só preservamos aquilo que sabemos nas suas razões primárias, das suas origens. Só assim aprendemos a gostar. Então, vale dizer, não se preserva o que não se conhece, o que não se aprendeu a respeitar. Na Europa aprendi a alfabetizar (em Português) crianças portuguesas refugiadas que não conseguiam aprender Francês. Porque só aprendemos uma segunda língua se formos alfabetizados em nosso primeiro idioma, o que a Linguística chama de “Língua Materna”. Do mesmo modo, só aprendemos uma nova cultura, de um novo lugar onde nos estabeleçamos, se sabemos a cultura das nossas origens. Por isso, pareceu-me importante, aqui e ago ra, trazer informações sobre o mais importante símbolo da “paulistanidade”, a nossa Bandeira Paulista. 
Sim, de fato, o hoje Pavilhão Paulista foi oferecido como desenho para ser a nossa Bandeira Nacional, em 1888, com a República. Mas não foi a escolhida então. Porém, em 1932 foi o símbolo escolhido para representar os paulistas no Movimento Revolucionário.
Lembre-se, treze listras horizontais, branco e preto, seja dia ou seja noite, lembram o modelo republicano dos Estados Unidos, estabelecida pelos seus líderes maçons. O mapa do Brasil, em azul, fica sobre um círculo branco, de paz, num fundo vermelho retangular, recebe quatro estrelas douradas em cada canto do Brasil, que demonstram as quatro cores das nossas etnias formadoras, porém, mais do que isso, indicam que amaremos nosso País, acima de tudo, estejamos onde estivermos. 
Tenhamos orgulho de nossos símbolos Paulistas, nós que permanecemos nesta Unidade da Federação. E saibamos o significado de cada forma, com amor. 
EPAMINONDAS ADVOGADOS
BANNER APS DESKTOP
Mirante dos Pássaros 14/10 a 15/11

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias