Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 20 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2019
Pmmc Refis 2019
CENTRO ONCOLÓGICO
PMMC NOVEMBRO AZUL
COLÉGIO PLENITUDE
PMMC SEGURANÇA
COLUNA

Jorge Lordello

delegado e escritor

O fenômeno da ‘vibração fantasma’ no celular

08 NOV 2017 - 05h00
Que o uso do aparelho celular é o maior vício de todos os tempos é inegável! O que precisamos ponderar, é se essa mania traz mais benefícios ou malefícios? A psicologia fala de dependência quando uma pessoa tem necessidade compulsiva de alguma substância, determinada atitude ou tarefa para experimentar os seus efeitos ou ainda para aliviar o mal-estar que resulta da sua privação. 
A dependência psicológica explica o motivo pelo qual muitas pessoas não conseguem desgrudar um minuto sequer do smartphone, mesmo sabendo que 95% das mensagens podem ser consideradas lixo eletrônico. 
O vício pode chegar a tal ponto, que pesquisas revelam que 90% dos usuário sentem as chamadas "vibrações fantasmas", ou seja, têm a nítida sensação que o celular vibrou em razão de ligação telefônica ou que alguma mensagem acaba de chegar. Imediatamente o usuário pega o celular do bolso ou de dentro da bolsa, olha para a tela e verifica que foi apenas um engano, mas na verdade, pode se tratar de sintoma patológico. Pesquisas realizadas pela Universidade de Indiana e pela Purdue University, descobriram que a ocorrência de "vibrações-fantasmas" é algo bastante comum, que afeta a maioria dos donos de aparelhos eletrônicos portáteis. 
A explicação científica aponta como sendo reflexo do condicionamento excessivo do cérebro, que se acostuma a associar as vibrações do aparelho a uma chamada ou notificação importante e assim cria sensações que não existem realmente. 
O psicólogo Larry Rosen, professor da Universidade Estadual da Califórnia e pesquisador da chamada "psicologia da tecnologia", faz a seguinte explicação: 
"Pessoas que pegam seus smartphones constantemente parecem ter uma espécie de obsessão. Isso as torna pouco diferentes daquelas que lavam as mãos constantemente. Eu não estou dizendo que isso necessariamente é uma obsessão, mas que se trata de algo que pode se transformar em uma de maneira bastante fácil". 
PMMC MIGO
Pmmc Refis 2019
BANNER APS DESKTOP
PMMC NOVEMBRO AZUL
Pmmc maternidade

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias