Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 22 de setembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/09/2019
Centerplex 19 a 25/09
PMMC ENTREGAS
COLUNA

Lorena Burger

Advogada

O lixo que produzimos

29 AGO 2017 - 06h00
Basta dar uma volta pelos arredores para observar a quantidade de lixo amontoado por todo canto... Garrafas e sacos plásticos parecem fazer parte do ambiente, pois, encontramos em todos os lugares, papel, pneus, restos de móveis, madeiras e entulhos de construção, além de restos de comida que atraem ratos e baratas que acabam invadindo nossas casas.
E para evita-las acabamos enchendo de veneno o ambiente interno, prejudicando nossa saúde.
Ainda não entendo porque tudo agora é descartável. Antigamente o leite era embalado em vidros que trocávamos todos os dias com o leiteiro, era o vai e volta. Nossas mães se encarregavam de retirar o conteúdo que era colocado em leiteira e já lavava o vasilhame que seria levado pela manhã vazio e deixado outro abastecido. O mesmo acontecia com as garrafas de cerveja e de refrigerante, o pão era embalado em sacos de papel que ainda podíamos utilizar para levar nosso lanche para a escola.
Os presentes não recebiam tantas embalagens, os papéis eram mais simples e com eles enfeitávamos caixas onde guardávamos nossos brinquedos, livros e outras tantas coisinhas.
O lixo era colocado na calçada em vasilhas que utilizávamos para recolhê-lo em nossa casa, após o lixeiro passar e o esvaziar, nós limpávamos e voltávamos a utiliza-lo normalmente, sacos plásticos não eram utilizados, nem conhecidos. As embalagens eram de celofane um material bem menos prejudicial, podíamos até colocar na cabeça que não causava sufocação como ocorre com o plástico, pois, ele rasgava com facilidade. Podíamos até encapar nossos livros e cadernos com ele. 
O material escolar era utilizado em grupo, todos faziam uso da mesma tesoura, dos mesmos lápis de cor e cada um tinha seu copo que ia e voltava em nossa lancheira e nele tomávamos o suco ou a água no recreio. Alguns professores até numeravam as folhas de nossos cadernos para evitar que as arrancássemos, um bom método de economizar o dinheiro de nossos pais.
Hoje temos embalagens descartáveis em grande quantidade, mas não são encaminhadas para a reciclagem, são jogadas na rua, nas beiras dos córregos. Garrafas e latas de cerveja e refrigerante são jogadas em qualquer lugar, até mesmo pela janela de veículos em movimento podendo causar acidente.
Todo esse lixo que produzimos diariamente e que parece sumir quando levado pelos caminhões de coleta, na realidade irão ocupar espaço em outro lugar, um pouco mais distante de nossas residências, mas iremos sentir os efeitos da poluição que irá causar enquanto se deteriora, pois, o ar e a água serão contaminados e não serão purificados rapidamente.
Quando não temos atenção com a produção diária de lixo de nossas cidades que contabilizadas somam milhares de toneladas por dia, esquecemos que esse lixo não sai de nosso planeta, nós não nos livramos dele...
Ele continua por aqui, alguns levam centenas de anos para se transformarem, outros poluem o ar, outros contaminam o solo...
Então não custa nada pensar na nossa casa maior que é a Terra e mostrar que a respeitamos, procurando produzir menos lixo a cada dia...
PMMC ENTREGAS
BANNER APS DESKTOP

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias