Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 07 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 06/12/2019
COLEGIO CETES 15/10 A 15/01/20
CENTERPLEX 05/12 A 11/12
CENTRO ONCOLÓGICO
COLÉGIO PLENITUDE
Comercial Esperança
COLUNA

Sueli Barão

É evangélica, professora escreve aos domingos

Quando vêm as provações

04 SET 2019 - 23h59
Vivemos dias em que o sucesso é o grande alvo das pessoas. É cobrado de nós o sucesso em todas as áreas da vida. E, se você está com problemas em alguma área, é porque está falhando, deve estar em pecado ou fez más escolhas. Isso pode ser verdade. Mas nem sempre é assim. Muitos servos de Deus, pessoas íntegras, passaram e passam por dias difíceis e sofrimentos terríveis. Como enxergar a ação divina diante do sofrimento? Quando as coisas vão mal em nossa vida, geralmente perguntamos: "Por que logo comigo? Eu sirvo a Deus, não faço mal a ninguém, cumpro os meus deveres; logo, não mereço passar por tantas dificuldades". "Senhor, por que estou passando por tudo isso? O que o Senhor está fazendo comigo? Não consigo entender. Acho que não vou aguentar!" 
Jó era um homem admirável por seu caráter, temor a Deus e por suas atitudes. O próprio Deus o elogiou, dizendo que não havia ninguém na terra como ele - um homem íntegro, confiável, acima de qualquer suspeita. Satanás questionou: "Será mesmo?" e desafia: "tire deste homem tudo o que tem e veja a sua reação - certamente amaldiçoará seu Deus". Então, num dia, que parecia ser como outro qualquer, Jó soube que perdera todos os seus rebanhos e boa parte de seus empregados, além de seus amados filhos - todos, de uma só vez. Situação desesperadora. Jó não apenas recebeu uma notícia ruim, mas uma sequência delas. Em seu lugar, qualquer um se desesperaria. Mas ele teve uma reação admirável: admitiu que tudo o que tinha fora dado pelo Senhor; então, Deus tinha todo o direito de levar seus bens e filhos: Deus deu, Deus tirou. Ele não se revoltou, mas aceitou tudo aquilo e até louvou o Senhor. Quando teve o corpo coberto por úlceras malignas, e sua mulher o instigava a amaldiçoar a Deus e morrer, Jó respondeu: "Mulher, falas como uma louca. Receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal?" Em tudo isso, não pecou Jó com os seus lábios. (Jó 1 e 2) A tendência humana é, diante do sofrimento, olhar para o céu e culpar Aquele que é Soberano. Muitos pensam, ou dizem: "Deus não precisava ser tão mau comigo!" Revoltam-se e não querem mais saber de Deus. Muitas vezes não entendemos o que Deus está fazendo conosco. Mas precisamos crer que Deus sempre tem propósitos em tudo o que faz. 
Há um tipo de borboleta que, para vir ao mundo, precisa forçar sua passagem através do gargalo de um casulo em forma de garrafa. Atravessar essa pequena abertura leva horas de intenso trabalho. O inseto precisa retorcer-se e sacudir-se para passar no meio dos fios aprisionadores. Se você observar uma borboleta nessa luta, pode ter pena desse inseto e querer ajudá-lo, cortando os fios para facilitar sua saída. Mas, se fizer isso, essa borboleta nunca vai desenvolver as suas asas. Em vez disso, ela vai passar a maior parte do tempo rastejando. Ela nunca vai ser capaz de estender suas asas e voar. Entomologistas que estudam essas borboletas acreditam que a pressão exercida sobre o corpo do inseto força um líquido especial para dentro das asas, preparando assim as asas para voar. Sem essa pressão, as asas nunca se tornariam fortes. Algumas vezes ter fé e permanecer firme na fé é difícil. Principalmente, quando enfrentamos tempos turbulentos. Pensamos que estamos sozinhos, abandonados, entregues a nossa própria sorte. Como essa borboleta, nós também lutamos. Existem muitos acontecimentos em nossas vidas, que não conseguimos entender, tão pouco explicar. Mas cremos, pela fé, que Deus está no controle de tudo! E não vamos sucumbir!
(Sueli Barão Rocha de Souza, evangélica, professora, escreve aos domingos.) 
BANNER APS DESKTOP
PMMC NATAL SORRISOS 2019
EPAMINONDAS ADVOGADOS

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias