Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 06 de julho de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 04/07/2020
Cemeap
COLUNA

Lorena Burger

Advogada

Trânsito perigoso

10 ABR 2018 - 00h59
O trânsito é uma matéria que me atrai bastante e sempre estou atenta ao comportamento dos motoristas na condução de seus veículos.
Não acredito em fábrica de multas, pois, existem pessoas que dirigem respeitando as normas de trânsito, que são claras e sempre bastante divulgadas pelos meios de comunicação e, passam anos sem cometer nenhuma infração, não desperdiçando suas economias pagando por multas causadas pela irresponsabilidade e desatenção.
É comum vermos motoristas displicentes usando o celular, completamente desatentos ao ritmo do trânsito, deixando os demais condutores estressados com sua atitude.
Às vezes acreditamos que um acidente pode ter ocorrido por conta do trafego lento que atrapalha o fluxo, entretanto, conforme o trânsito se desenvolve percebemos que é simplesmente um veículo parado em fila dupla aguardando um passageiro, uma encomenda ou mesmo só conversando com alguém na calçada, como se estivesse na sala de sua casa...
Outras vezes estamos nalguma das rodovias que nos cercam e já estamos no limite da velocidade permitida, mas o condutor atrás de nós parece estar com muita pressa, aciona nervosamente o farol alto pedindo passagem e quando conseguimos facilitar ele ultrapassa nos fazendo sinais indecorosos como se fôssemos uma tartaruga na estrada e, repentinamente ele freia porque percebeu a existência de um radar que ali se encontra instalado há anos, sempre vigilante na sua missão de flagrar motoristas irresponsáveis e apressados.
Entretanto, apesar de tantos cometimentos de infrações por motoristas irresponsáveis, o que mais tem me chamado a atenção nos últimos tempos é a quantidade enorme de condutores de veículos escolares, que em tese deveriam ser mais que responsáveis, pois, transportam nossos filhos na ida e na volta para a escola, cometendo infrações que nem sempre são vistas pelos agentes de trânsito.
Conversões em locais proibidos, paradas em fila dupla, avanço de sinal, o famoso "costurar" no trânsito porque estão com pressa, usar telefone celular, dirigir em velocidade superior àquela que é permitida, parar no meio da via para o embarque e o desembarque de crianças e jovens que sempre são mais desatentos na travessia, forçar a passagem quando necessitam converter à direita ou à esquerda...
São tantas infrações que cometem que por vezes imagino que se ainda tivesse filhos em idade escolar não usaria esse meio de transporte de maneira nenhuma.
Aqui em nossa cidade também temos o transporte alternativo, ou como são conhecidas às vans... Ah! Seus condutores, com raras exceções são os donos das ruas, trafegam com displicência pela direita e pela esquerda, param com os veículos atravessados nas pistas, não sinalizam quando param ou quando saem, param fora dos pontos e repentinamente, fazendo com que os motoristas que seguem atrás deles se mantenham sempre atentos.
Falam ao celular e transportam passageiros sem cinto com imensos pacotes no colo ou com crianças pequenas, freiam bruscamente movimentando os passageiros para frente, mesmo assim são responsáveis pela grande maioria das pessoas que necessitam de transporte coletivo, pois, por conta desse destemor, acabam sempre chegando mais cedo aos seus destinos, permitindo que os passageiros tenham alguns minutos a mais para descansar. 
BANNER APS DESKTOP

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias