Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
segunda 14 de junho de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/06/2021
COLUNA

Sueli Barão

É evangélica, professora escreve aos domingos

Firmados na Rocha

16 MAI 2021 - 05h00


É muito conhecida e apreciada pelas crianças a história dos Três Porquinhos, Cícero, Heitor e Prático que, após receberem orientações da mãe, começaram a construir uma casa, a qual o lobo mau não pudesse ter acesso. O primeiro fez uma casa de palha. Veio o lobo que soprou com força e derrubou a casinha de palha. O segundo construiu uma casa de madeira, que o lobo também derrubou com o seu forte sopro. Por fim, o terceiro porquinho, mais prevenido e perspicaz, construiu a sua casa com tijolos e pedras. Veio o lobo que soprou fortemente, mas não conseguiu derrubá-la, por mais que tivesse tentado. Essa é uma história que ilustra bem a necessidade de se construir a nossa história, a nossa vida, o nosso lar, sobre um solo sólido, usando materiais resistentes, de primeira qualidade.
Esse é o ensino de Jesus, quando disse que há quem construa a sua vida sobre a areia, e há quem a construa sobre a rocha. Mas quem é e onde está a rocha? Na palavra de Cristo: "Todo aquele que escuta as minhas palavras e as pratica assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que construiu a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve as minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína". (Mateus 7:24-27) Como se vê no texto, a chuva cai, os rios transbordam, e os ventos sopram tanto sobre a casa construída sobre a rocha quanto para a construída sobre a areia. A diferença está no alicerce. Ninguém se engane: areia é areia mesmo. É pó. Portanto, não serve para alicerce de uma casa. Menos ainda para alicerce de uma vida.
Em outras palavras, todo aquele que pratica os ensinamentos de Jesus terá chão firme debaixo dos pés. O mundo exterior dele será o mesmo que o dos outros - podem vir convulsões, problemas, tempestades; ele é que será diferente. A chuva é certa, os ventos soprarão, as inundações são possíveis. A palavra de Jesus é rocha sobre a qual podemos construir com segurança, sabendo que estamos construindo para a eternidade. A construção pode ser mais difícil, levar mais tempo, ter um custo maior; mas vai valer a pena. Ela nos lembra o penhasco, que resiste imperturbável ao ímpeto do mar. Se não for assim, será temeridade construir, isto é, viver para construir, uma vez que a vida não consiste na fachada, nas linhas arquitetônicas, na pintura, na aparência; mas sim no alicerce, pois deste depende a segurança do resto. No mundo contemporâneo, muitos estão construindo a sua história sobre a areia. Temos que construir com base sólida. De baixo para cima. Esquecendo-se disso, muita gente está fazendo como as crianças, que na praia levantam castelos de areia. Areia sobre areia.
Jesus é a rocha sobre a qual a nossa vida deve estar alicerçada. Caso contrário, continuaremos a assistir aos espetáculos desoladores que o mundo oferece aos nossos olhos, como se tivesse havido um terremoto - em toda parte, ruínas. Vidas em ruínas. Desastres irremediáveis onde antes parecia haver segurança. O motivo? Alicerce de areia, que não resiste, quando desce a chuva, correm os rios e assopram os ventos. 

BANNER APS DESKTOP

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias