Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quarta 25 de maio de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/05/2022
COLUNA

Sueli Barão

É evangélica, professora escreve aos domingos

Pelos padrões de Deus

16 JAN 2022 - 05h00

Temos dificuldade em obedecer, em fazer o que é certo. Desde pequenos testamos os nossos pais, resistindo às ordens e orientações recebidas. As crianças estão aprendendo a fazer a leitura de mundo, a conhecer todo esse processo de seguir regras. É um longo e árduo processo de socialização. A sociedade funciona através de regras. Nem sempre justas, é verdade! Quando adultos podemos decidir a quais regras obedecer, ou não, pois nessa fase da vida temos que assumir as consequências de nossas decisões. A que voz obedeceríamos se fôssemos colocados diante de uma situação em que para mantermos os nossos princípios precisássemos agir de forma contrária ao sistema? A voz de Deus, a voz do medo, ou a voz do caminho mais fácil? Nem sempre é fácil tomar a decisão certa. O profeta Daniel, quando jovem e por toda a sua vida, enfrentou muitos desafios para se manter fiel a Deus. Exilado na Babilônia, foi selecionado para participar de um programa de treinamento, a fim de concorrer a uma vaga no prestigioso serviço do rei Nabucodonosor, já que os babilônios tinham o hábito de identificar pessoas de potencial entre os povos que conquistavam para servir na complexa gestão do reino. Daniel estava em uma condição desfavorável, mas de certa forma privilegiada. Era uma sociedade diferente, uma cultura diferente. Como nos dias atuais, a aparência contava muito. Por três anos ele e seus amigos tiveram de seguir uma dieta rigorosa antes de desfilarem diante do rei, que escolheria os mais bonitos, "saudáveis", inteligentes, para trabalharem para ele. Só que o cardápio oferecido contrariava os princípios desses rapazes! E, desde o princípio, Daniel teve um propósito - não se contaminar. Se tivermos um propósito firme em nosso coração como Daniel, podemos até ser tentados, mas não cairemos.
Sabemos que os judeus eram muito cuidadosos quanto à alimentação. Segundo a lei judaica, um homem consagrado a Deus não poderia consumir alimentos inadequados ou preparados de forma imprópria. Sendo assim, a comida oferecida pelo rei seria inaceitável. Ainda que correndo grave risco, pois desagradar ao rei poderia resultar em morte, Daniel e seus amigos pediram para se abster dos manjares do rei. "E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar". (Daniel 1:8) Quando Daniel e seus amigos decidiram não se contaminar com as iguarias do rei, receberam o resultado de sua fidelidade a Deus. Daniel não teve medo das consequências. Quando as regras contrariaram a Palavra pela qual ele se orientava, ele escolheu obedecer ao Senhor, mesmo que com isso a sua vida estivesse em cheque. E foi assim sempre! Ser fiel aos princípios divinos tem um preço. E Daniel o pagou várias vezes. Nessa situação específica, vemos que Daniel caiu na graça do chefe dos eunucos, Aspenaz, que permitiu que Daniel e seus amigos se alimentassem por dez dias apenas com legumes e água. Ao final dos dez dias, eles eram os mais robustos, saudáveis, de melhor aparência, em relação aos outros jovens que se alimentaram das iguarias do rei. Consequentemente, Deus lhes deu o conhecimento e a inteligência em todas as letras, e sabedoria; mas a Daniel deu entendimento em toda a visão e sonhos". (Daniel 1:7) Daniel e seus amigos escolheram ser fiéis a Deus. Diariamente, também escolhemos ser fiéis a Deus, ou cedermos ao que o mundo nos propõe. As circunstâncias geralmente nos sugerem que, se não cedermos, não sobreviveremos. Mas vale a pena decidir pela obediência a Deus, pois há bênçãos quando fazemos essa escolha!

 

Umc

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias