Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 24 de junho de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/06/2018
PMMC ATIVA DESKTOP
MRV WEB - SUPREME
PMMC - DESKTOP

Mc Kenny de Itaquá grava música autoral ‘Terapia’ pela Liga do Funk

Nova canção do adolescente de 16 anos, que já escreveu mais de 30 músicas, será lançada este mês no YouTube

Por Amanda Moreira - De Itaquá13 MAR 2018 - 00h02
Mc Kenny, de 16 anos na escola de funk (Liga do Funk), em São PauloFoto: Gleison dos Santos/Divulgação
Com uma caneta na mão e batidas aceleradas, o jovem Kenny Roger Alexandre da Silva - mais conhecido por Mc Kenny- de 16 anos, morador do bairro Marengo em Itaquaquecetuba apresenta suas canções de autoria própria dentro da redação do DS em uma entrevista descontraída.
 
O cantor gravou, recentemente, seu primeiro single intitulado "Terapia" (que aborda o baile funk) pela Liga do Funk em São Paulo. A canção será lançada ainda este mês pelo canal no YouTube da própria liga. Com mais de 30 músicas escritas, o adolescente não esconde a timidez para falar do seu trabalho, experiências e projeções futuras como profissional na música.
 
O talento juvenil foi descoberto pelo caçador de talentos e assessor parlamentar Gleison dos Santos, de 41 anos, também morador do Marengo, que contou um pouco como ajuda o Mc e a promover atividades culturais para aperfeiçoamento musical e social do cantor. 
 
"Sempre busquei ajudar pessoas de bairros carentes, descobrindo novos jogadores de futebol e lançando em times grandes. Dentre uma e outra descoberta, percebi que a maioria dos jovens do Marengo, gosta de cantar e dançar funk -o chamado Mc-, foi nessa busca que encontrei o Kenny e notei que o menino tinha talento", conta.
 
Com a ajuda de Mc Rogerinho, um dos responsáveis e vice-presidente da escola de funkeiros “Liga do Funk”, o jovem conseguiu por meio de suas composições, gravar uma música e aprender através de aulas características para se tornar um profissional da indústria do funk. Ele teve, por exemplo, aulas de manter a postura de palco, de canto, teatro e rima, além de participar de debates sobre diversos temas, entre eles, o hip hop para conseguir possíveis contratações empresariais.
 
"Comecei no ramo do funk muito novo, já aos 4 anos criava batidas para as músicas. Aos 13, já me apresentava em casa de eventos pelo Alto Tietê para fazer a abertura de shows para artistas maiores e desde então não parei mais de compor e trazer músicas de inspiração e lição de vida para outras pessoas", reforça o artista.
 
Músicas
Dentre as canções produzidas pelo Mc a música "A Vida do Crime", dividida em duas partes, conta a história de um dos seus amigos que morreu baleado, passando uma mensagem positiva aos jovens.
"Essa música escrevi contando a história do meu amigo, que infelizmente faleceu baleado e deixou o funk para seguir o lado do crime. A ideia é conscientizar outros jovens à não se envolverem na marginalização e principalmente nas drogas que é a realidade do mundo nos dias de hoje ", ressalta.
 
Projetos
Para projeções futuras, o cantor conta seu sonho em ajudar sua família através da música. 
 
"Sempre tive apoio da minha mãe e dos meus irmãos mais velhos e se tudo der certo, pretendo dar uma casa para minha mãe que é batalhadora e dar um conforto que ainda nunca tive à eles", enfatiza Kenny.
Outro projeto que o cantor está desenvolvendo é uma canção em parceria com o próprio Mc Rogerinho (ainda sem nome oficial), que aborda a liberdade da consciência e o resgate de jovens através de mudanças e inclusão social.
 
"Primeiramente agradeço à Deus por ter me proporcionado o dom de cantar, minha família, ao Gleison e o Mc Rogerinho e a Liga do Funk que estão me preparando e dando grandes oportunidades", finaliza. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias