Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 23 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

Alckmin e Bertaiolli entregam 600 apartamentos para famílias de Mogi

10 SET 2016 - 08h01

O governador Geraldo Alckmin, o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, e o prefeito de Mogi, Marco Bertaiolli (PSD), entregaram, ontem, as chaves da casa própria para 600 famílias de Mogi das Cruzes. Nesse total, estão incluídas 66 famílias que foram removidas de áreas de risco na Vila Estação, Córrego dos Canudos, Botujuru, Rodeio, Jardim Piatã e Vila Cecília. Todas as unidades foram destinadas a famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil, público alvo da Casa Paulista, que viabilizou as moradias populares. Os imóveis são dos empreendimentos do Conjunto Residencial Apoema I e II, no Parque Olímpico.

"O sonho da família é a casa própria. Sonho e direito. Nós ficamos muito felizes de poder participar desse grande dia na vida da cada família que está aqui", disse o governador.

Os apartamentos tiveram aporte de R$ 11,9 milhões da Casa Paulista - R$ 19,9 mil por unidade - e recursos federais de R$ 45,6 milhões, totalizando investimentos de R$ 57,5 milhões. Os recursos foram repassados pelo governo paulista para a Caixa Econômica Federal, agente financeiro responsável pela contratação de empresas, supervisão de obras - realizadas pela construtora Predial Suzanense - e financiamento do empreendimento.

"Em 2011, o governador criou o Casa Paulista, uma agência de fomento da Secretaria de Estado da Habitação que subsidia o programa Minha Casa, Minha Vida do Governo Federal. Sem ela, não seria possível a realização do programa no Estado de São Paulo, porque a nossa realidade difere dos demais estados. Aqui tudo é mais caro: o terreno, os materiais, a mão de obra", explicou o secretário Rodrigo Garcia.

Os beneficiados, que não podiam ter participado anteriormente de nenhum programa habitacional, terão 120 meses para a quitação do imóvel, com prestações de acordo com a renda familiar. As prestações mensais variam de R$ 25 a de R$ 270.

"O que está acontecendo comigo hoje é uma bênção de Deus. Só tenho a agradecer a todos os envolvidos que olharam pra gente que precisa tanto. Eu agora vou ter mais tranquilidade e os meus filhos mais segurança. Uma nova fase da minha vida vai começar", diz Vânia Ferreira, que irá morar em um dos apartamentos do residencial Apoema.

As unidades têm 48,76 m² de área total, dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro, área de serviço, piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos nas paredes da cozinha e do banheiro, medição individualizada de água, acessibilidade, entre outras melhorias. Na área externa, os condomínios dispõem de pavimentação, espaço reservado para estacionamento, quadra poliesportiva, playground, área de lazer, centro comunitário e portaria.

Empregos

De acordo com estudo realizado pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo (CDHU), são criados 14,5 empregos diretos a cada R$ 1 milhão investido em construção residencial, o que equivale, na entrega em Mogi das Cruzes, a 833 empregos diretos criados pela obra.

Região

Metropolitana

Desde 2011, a região metropolitana de São Paulo recebeu 22.601 moradias populares, por meio da CDHU e do programa Casa Paulista. Além disso, há 28.373 habitações de interesse social em construção. Foram entregues 622 unidades em Mogi das Cruzes no mesmo período e outras 1.240 moradias estão com obras em andamento na cidade.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias