Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 03 de dezembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 03/12/2020
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades 02 - Dezembro
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades - Dezembro

Entrega do piscinão para dezembro é compromisso firmado, diz Borges

05 MAR 2016 - 08h01

 O prefeito de Poá, Marcos Borges (PPS), anunciou ontem, durante coletiva sobre o andamento da obra do piscinão, que a data de entrega do projeto para dezembro é um compromisso firmado. Apesar disso, o proprietário da MWE Construção e Pavimentação, que realiza a obra, Manoel Fernandes, chamou a data de "otimismo do prefeito". Segundo ele, obras complementares podem ser feitas após o prazo. Durante a reunião, o prefeito também divulgou um projeto para a implantação de duas galerias pluviais na cidade, além de desapropriações de casas ao redor do córrego Itaim.

O piscinão já recebeu R$ 19,1 milhões do governo federal e R$ 2,4 milhões de contrapartida do município para sua construção. No momento, a obra está 45,7% concluída. A Prefeitura diz que ainda falta investir R$ 24 milhões, sendo 70% do governo federal e 30% de contrapartida de Poá até o final das intervenções. A administração municipal ainda precisará desembolsar cerca de R$ 7,2 milhões.

"É muita irresponsabilidade achar que a Prefeitura consegue levar essa obra sozinha. Esperamos até seis meses para que os repasses cheguem na conta. Ninguém faz uma obra desse tamanho sem dinheiro", disse Borges, explicando o motivo para as vezes que a obra ficou paralisada.

O local funcionará como caixa coletora com capacidade de reservar 200 mil metros cúbicos de água. O piscinão também terá seis bombas com capacidade de 500 litros de água por segundo. O objetivo será segurar a maior parte do volume de água que vai até Poá durante fortes chuvas, vindo de Ferraz de Vasconcelos e do bairro paulista Guaianases. Depois de cheio, o reservatório levará aproximadamente 14 horas para esvaziar, encaminhando a água ao córrego Itaim gradativamente. De acordo com o responsável pela obra, 20 pessoas trabalham no local.

Ainda durante a coletiva, o prefeito informou que vem trabalhando junto à Secretaria de Obras para desapropriar imóveis construídos à margem do córrego Itaim. "Estamos fazendo levantamento para identificar as casas, para desapropriar os imóveis que foram construídos em cima do rio. Devolver para o córrego o que é dele", explicou. A medida será tomada devido aos alagamentos em trechos em que não tem espaço. Ele não divulgou prazos ou número de casas a ser afetadas.

Questionado sobre a utilidade do piscinão para a população que vive no Centro da cidade e que ainda temem que as enchentes afetem suas residências, Borges explicou que para isso está com o projeto de implantação de galerias. "A solução não está aqui. Para levar um alento estamos com o projeto de duas galerias. Iniciando com uma que sai da Avenida Anchieta, quando o rio faz a passagem por baixo da linha da CPTM, fazendo a curva. Ela terá 1.344 metros de cumprimento, três metros de largura com dois metros de altura, distribuindo as águas do rio. Será de uma contribuição fantástica para ajudar esses moradores do eixo central", falou.

DESAPROPRIAÇÃO de ESCOLA

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Subai Alexandre Maluf, na Vila Romana, precisará ser desativada devido à construção do piscinão. A unidade se encontra ao lado do reservatório e é considerado local de risco. De acordo com o prefeito, a escola será transferida e construída em um terreno de 1,5 mil metros quadrados na Rua Marajó, ainda no bairro Vila Romana. A construção da obra deve ter início neste ano, em paralelo com a obra do piscinão.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias