Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 27 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/10/2020
PMMC COVID VERDE
PMMC MULTI 2020
PMMC OUT ROSA
SOUZA ARAUJO
Pmmc Sarampo Outubro

Filló é afastado do cargo e afirma viver 'guerra política'

04 DEZ 2015 - 17h18
Promotores, procuradores e oficiais de Justiça fizeram buscas e apreensões na casa do prefeito de Ferraz de Vasconcelos, Acir Filló (PSDB), e na Prefeitura. A ação contou com o apoio da Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar (Rota). O tucano foi afastado do cargo por decisão de uma ação judicial de improbidade administrativa, que investiga suspeitas de fraude em licitação de contratação de uma empresa de coleta de lixo. As informações foram divulgadas pela procuradora Sandra Cristina Holanda. Em uma rede social, o prefeito afirmou em um vídeo que está sendo vítima de uma "guerra política". O tucano e a o corpo jurídico da Prefeitura devem entrar com recurso na Justiça na próxima semana. O vice-prefeito José Izidro Neto (PDT) assume o cargo durante o afastamento de Filló.

 

Durante a operação, os procuradores fizeram o levantamento de documentos e valores na Prefeitura. Segundo a procuradora, a Justiça concedeu uma liminar que permite o afastamento de Filló da administração municipal. "O prefeito foi noticiado pela manhã. A ação acatada pela Justiça trata de improbidade administrativa, sendo que o Ministério Público (MP) investigava fraude em licitação, mas não podemos revelar qual denúncia foi acatada porque a ação segue em segredo de Justiça", comenta. Ela informou que os procuradores também buscaram documentos em outros imóveis. As ações tiveram início no começo da manhã e ocorreram de forma simultânea.

No mandado de busca e apreensão estava a determinação de que Filló deverá ficar afastado até que a investigação seja determinada.

 

De acordo com o advogado do prefeito, Karim Yossef El-Nashar, que foi à Prefeitura durante a ação, os documentos sobre a denúncia não foram apresentados à defesa e, por isso, ele aguardará as próximas decisões da Justiça para se posicionar. Porém, ele afirmou que a ação da procuradoria "é parcial e tendenciosa". O advogado falou que conversou com o prefeito pela manhã e o tucano afirmou que a situação se trata de uma guerra política, que "se instalou uma guerra no município, onde os procuradores visam interesses particulares".

 

O vice-prefeito também compareceu na Prefeitura, enquanto os procuradores - em conjunto com promotores - recolhiam documentos. O político preferiu não falar com a imprensa e apenas demonstrou pesar. Segundo a Secretaria de Comunicação, o corpo jurídico vai analisar o processo movido contra Filló e vai impetrar os recursos judiciais necessários, para que ele reassuma o cargo.

 

A Câmara Municipal, por sua vez, disse que aguarda mais informações para se posicionar sobre o afastamento do prefeito. De acordo com a assessoria do Legislativo, o setor não foi notificado e nenhum vereador se posicionou sobre a abertura de uma comissão para investigar o caso.

 

Durante a ação, havia a informação de que também foram realizadas busca e apreensão na casa do ex-prefeito de Ferraz, Jorge Abissamra (PSB) e de sua irmã. Porém, a informação foi negada. O ex-prefeito explicou que sua irmã mora no mesmo prédio que Filló e que não há nenhum envolvimento dele na licitação. "Quando eu era prefeito, a coleta de lixo era feito para Prefeitura. Não havia empresa contratada para o serviço". Também há a informação de será pedida a indisponibilidade de bens de Abissamra, de secretários e ex-secretários, porém a informação não foi confirmada pela Justiça.

Foto: Irineu Jr./DS

 
 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias