Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 28 de novembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/11/2020
PMMC NOVEMBRO AZUL
PMMC MULTI 2020 NOV
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Izidro vê absolvição de Filló como decisão política e diz que votaria por cassação

06 JUL 2016 - 08h01

O prefeito em exercício José Izidro Neto (PMDB) avalia que a votação que absolveu e arquivou o processo de afastamento de Acir Filló (PSDB) foi político e não técnico. Ele afirmou, em entrevista à imprensa, que se fosse vereador votaria pela cassação do mandato do tucano. Na segunda, a Câmara decidiu arquivar e retirar as acusações contra Filló. "Ele permaneceu por três anos à frente da administração, então fez uma relação com muitos deles (vereadores). A meu ver, a decisão foi política e não técnica".

Izidro disse ter convocado à imprensa para explicar os processos de cassação e afastamento do tucano, que são opostos. No que o Legislativo votou, o peemedebista contou que era decorrente a irregularidades na contratação de uma empresa de Call Center. Já a ação que afastou Filló do comando da Prefeitura é sobre uma decisão judicial de improbidade administrativa, que investiga suspeita de fraude em licitação de contratação de uma empresa de coleta de lixo. "É importante esclarecermos isso, porque muitas pessoas acabaram ficando confusa. Uma ação está correndo na Justiça, sendo que, está que foi arquivada era apenas na Casa de Leis", acrescentou.

Izidro foi enfático ao dizer que o anúncio do retorno dado por Filló, que, segundo o tucano, era até esta sexta-feira, é prematuro, uma vez que a decisão cabe apenas ao Superior Tribunal Federal (STF). "Na realidade, ele já anunciou outras vezes, mas depende uma ação judicial. O recurso está no STF".

Izidro também afirmou que é pré-candidato e descartou uma nova aliança com Filló. O prefeito em exercício falou que o tucano afirma em ligações telefônicas que ao voltar para exonerar muitos servidores. "É lamentável. Traz a insegurança, porém, a maioria dos secretários acompanha o processo. Então, eles sabem que foi por ordem judicial e a volta será definida pelo STF". Izidro destacou que uma sindicância será aberta para analisar a licitação da empresa coletora de lixo. "Cancelamos o contrato e agora será aberta uma sindicância administrativa para verificá-la. O prazo varia até 90 dias, então, ainda não há uma definição".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias