Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 24 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Jovem morre afogado na Lagoa Azul

10 FEV 2016 - 07h01

Um homem, de 19 anos, morreu afogado na Lagoa Azul, em Suzano. O acidente aconteceu ontem por volta das 13h30. Mergulhadores do Corpo de Bombeiros trabalharam mais de duas horas no local. O corpo de Pedro Antonio Vorus foi encontrado por volta das 16 horas.

A vítima morava no bairro Miguel Badra Baixo, mas cresceu nas proximidades da lagoa. Os bombeiros informara que a água no fundo é muito escura e quase não permite visibilidade. Como, eles não sabiam ao certo o ponto exato do afogamento, as buscas estavam sendo feitas em uma área maior. Além dos bombeiros de Suzano, mergulhadores de Itaquá também ajudavam.

Familiares da vítima disseram que o rapaz foi até o local acompanhado de um amigo e que ele sabia nadar. "Por falta de aviso não foi. Eu e a mãe dele cansamos de falar sobre os perigos da lagoa, mas ele não escutava, estava acostumado a frequentar aqui direto. Alguns amigos deles insistiam para ele vir e a história acabou terminando assim", falou Floriano Leme Barbosa, padrasto da vítima.

Muito abalada, a mãe do rapaz acompanhou o resgate dos Bombeiros de perto. "Ele sempre nadou bem, não sei o que aconteceu. Eu tive um pressentimento ruim e falei para ele não vir para cá, mas ele não me ouviu", lamentou a mulher, que já perdeu outros dois filhos.

Uma testemunha que viu os dois homens chegarem na lagoa revelou que a vítima estava no raso junto com o amigo. Em segundos, o rapaz se distanciou um pouco e começou a gritar por socorro. "Parecia que ele estava sendo puxado para o fundo, o amigo dele pulou e tentou agarrá-lo algumas vezes, mas logo ele desapareceu. Minha filha ainda jogou uma boia, mas ele não conseguiu agarrar, foi tudo muito rápido", disse a mulher, que frequenta o local junto com seus filhos quase todas as semanas.

Ainda de acordo com ela, nesse horário a lagoa estava vazia. Porém, à medida que a tarde foi passando, o número de pessoas que chegavam para nadar no local só aumentava. Nem mesmo o fato dos Bombeiros realizarem as buscas pelo corpo recém-afogado no local afastou a população, que já acostumou a usar a Lagoa Azul como ponto de recreação. A Guarda Civil Municipal foi chamada para realizar a orientação das pessoas que se aglomeravam no local.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias