Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 26 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/09/2020
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE
Poá

Patrulha Maria da Penha é implantada em Poá

17 SET 2015 - 00h13
A Patrulha Municipal Maria da Penha foi lançada hoje, em Poá, pelo prefeito Marcos Borges (PPS) e pelos secretários Aretha Marques (Mulher) e Carlos Setsuo (Segurança), no Paço Municipal. A Patrulha tem por objetivo a ronda, o apoio e, principalmente, a segurança de mulheres que estão sob medidas protetivas.



De acordo com o prefeito, “as ações em prol do público feminino são amplas e contínuas e não se limitam apenas a uma causa ou evento, e sim a proteção, a garantia de direitos, o trabalho em razão de oferecer capacitação profissional e auxílio em todas as questões que competem a este público. Desde o início este é o foco que é seguido com árduo trabalho".

O serviço prestado pela Patrulha Municipal terá sempre dois Guardas Civis Municipais (GCMs), um do sexo masculino e outro do feminino, que farão rondas com veículo motorizado caracterizado, próximo às residências de mulheres vítimas de violência que estão em medidas protetivas de urgência, para garantir a segurança pessoal e patrimonial da vítima e sua prole. Caso necessário, realizará também acompanhamento de mulheres que precisem retirar, por exemplo, pertences do local da ocorrência.

Segundo as pastas da Mulher e de Segurança, a atuação ocorrerá da seguinte forma: a Polícia Civil registra a ocorrência e encaminha as requisições das medidas protetivas de urgência solicitadas pela vítima ao Poder Judiciário (Juizado da Violência Doméstica e Familiar). Ao mesmo tempo, identifica a prioriza os casos mais graves e repassa esses pedidos para a Secretaria Municipal da Mulher - que, em contato imediato com a Guarda Civil Municipal (Patrulha Municipal Maria da Penha), começa a realizar a diligência na residência desta vítima para fiscalizar se a medida protetiva está sendo efetivamente cumprida. Os GCMs estão aptos a esclarecer dúvidas, fornecer informações e até mesmo a realizar encaminhamento à Secretaria da Mulher e a outros órgãos públicos, se for necessário.

Foto: Julien Pereira/AI Poá
 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias