Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

PM barra ‘derrame’ de notas falsas em Suzano

28 OUT 2015 - 07h01

A Polícia Militar (PM) barrou ontem um “derrame” de notas falsas e deteve pai e filho, de 22 e 43 anos, na Avenida Antônio Marques Figueira, em Suzano. Foram apreendidos R$ 1,65 mil em notas falsificadas. A ação ainda culminou com a apreensão de extratos bancários - saques e depósitos - e uma matriz de cartão magnético. Segundo a polícia, o material é usado para a clonagem de cartões bancários. A hipótese da polícia é que a dupla tenha aplicado os crimes em comércios locais, assim, trocando os valores falsificados.

A polícia suspeita que o primeiro e último golpe da dupla tenha sido realizado em uma farmácia situada na Rua Prudente de Moraes. No estabelecimento, os homens compraram uma mercadoria e entregaram uma nota de R$ 100. A funcionária, ao notar a falsificação, tentou correr atrás dos homens, que entraram em um Volkswagen Gol preto e fugiram. Contudo, eles não esperavam que a vítima tivesse anotado as placas do carro e passasse a informação para a polícia.

A partir daí, os policiais iniciaram as patrulhas pela região central. As informações precisas sobre as vestimentas dos estelionatários e o carro foram imprescindíveis para que a polícia os encontrasse. “A rapidez na denúncia foi o primordial para a prisão, já que a vítima disse que eles fugiram às pressas no carro”, contou o sargento Castro da Força Tática, que teve apoio do cabo Soares e Vilmes.

A polícia ainda contou que notas falsas de R$ 50 e R$ 100 foram localizadas sob as roupas dos suspeitos, que alegaram desconhecer a falsificação. Além disso, os policiais encontraram mais cédulas falsificadas dentro do veículo e valores menores, possivelmente oriundos de compras em estabelecimentos na região.

O encontro de extratos bancários e um cartão magnético chamou a atenção da polícia. As transações bancárias estavam em nomes de diferentes pessoas, o que sugere que a dupla tenha aplicado mais golpes no município e, provavelmente, no Alto Tietê. “Suspeitamos que eles tenham aplicado outros crimes na região, pois tinha uma matriz para clonar cartões bancários”, finalizou Castro.

De acordo com a polícia, os suspeitos eram moradores do município litorâneo de Maresias; Litoral Norte Paulista. A Polícia Civil deve instaurar um inquérito policial para investigar se os homens cometeram crimes semelhantes nos comércios centrais.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias