Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
domingo 16 de maio de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/05/2021
CHECK UP - PÓS COVID

População da Vila Margarida protesta contra enchentes em Ferraz

12 JAN 2016 - 07h01

Revolta, nervosismo e indignação. Esses foram os sentimentos mais vistos durante protesto realizado na Rua São João, Vila Margarida, em Ferraz de Vasconcelos. O motivo, segundo os moradores, foi o "abandono" aos moradores após o alagamento ocorrido no último sábado. Ontem à tarde, cerca de 100 pessoas do bairro fecharam a via e colocaram fogo no lixo acumulado na enchente. A principal reivindicação era um plano para por fim às seguidas enchentes que atingem o local todos os anos.

"Estamos abandonados, a chuva que caiu no sábado passado acabou com tudo. Olha só as ruas como estão cheias de lixo, tudo sujo com rato, cobra. Tem gente que não conseguiu entrar em casa até hoje. Muitos não têm roupas, água e nem comida", falou, chorando, uma mulher de 46 anos, residente na região há sete anos.

De acordo com alguns moradores, no último domingo, um dia após a chuva que alagou pontos da cidade, representantes da Defesa Civil e da Prefeitura estiveram na Vila Margarida, mas até ontem, não tinham voltado com ajuda. "Esse monte de lixo jogado nas ruas não fomos nós que jogamos. Isso foi a chuva que destruiu. Se depender da Prefeitura, vai ficar aí por muito tempo".

Um grande número de viaturas e policiais militares foram deslocados para fazer a segurança no local. Mas, durante o período que a reportagem do DS esteve na área, nenhum confronto foi flagrado.

O único representante político que compareceu ao protesto foi o prefeito em exercício, José Isidro Neto (PMDB). Porém, muito pressionado, o tucano pouco pôde fazer.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias