Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Segunda 20 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

A luta pelo hospital

15 NOV 2017 - 05h00
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o hospital é um organizador de caráter médico-social, que deve garantir assistência médica, tanto curativa como preventiva, para a população, além de ser um centro de medicina e pesquisa.
O hospital é o local onde se fazem as maiores intervenções de saúde nos indivíduos com situação de agravo à saúde, de média e alta complexidade, garantem especialistas.
Além da atenção especial à enfermidades, com diagnóstico, tratamento, reabilitação e atendimento de emergências, o ambiente hospitalar ainda se ocupa com a prevenção, que é o controle de doenças infecto-contagiosas, a saúde ocupacional e a promoção à saúde, por exemplo.
Em Poá, a manutenção do Hospital Municipal Guido Guida é uma questão de honra para a sociedade da cidade. A unidade presta um trabalho importantíssimo.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem mostrando que o prefeito de Poá, Gian Lopes (PR), e o deputado federal Roberto de Lucena (PV) anunciaram a conquista de mais de R$ 2 milhões para investimento na unidade de saúde. 
O dinheiro foi conseguido via emenda parlamentar e liberação de recursos do Ministério da Saúde. No final de setembro, ao lado de Lucena e de Marquinhos Indaiá, o prefeito de Poá foi recebido pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB), em seu gabinete, para solicitar recursos para que o Hospital Municipal Guido Guida não feche as portas. 
Naquela ocasião o presidente Temer se sensibilizou muito com a situação de Poá, que está enfrentando uma grande crise financeira e pediu que alguns departamentos dessem uma atenção especial ao município. Então foi feita uma indicação de emenda parlamentar no valor de R$ 1 milhão e o Ministério da Saúde liberou também o mesmo valor. 
O Hospital Guido Guida conta com 24 leitos e atende, por ano, 150 mil pessoas, sendo que 35% deste público é de outras cidades da região como: Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Suzano e até de moradores do extremo leste da Capital. 
O prefeito já esteve no Palácio dos Bandeirantes e na Secretaria de Estado da Saúde para apresentar a situação difícil pela qual passa a cidade, devido ao corte no repasse do Imposto Sobre Serviços (ISS) à Prefeitura. Sem dúvida, existe um imenso esforço para se conseguir manter o funcionamento da unidade, mesmo com a crise financeira desencadeada, sobretudo, pela perda de recursos do Imposto Sobre Serviços (ISS).
O Hospital de Poá atende uma boa parcela da população que chega à unidade para ser atendida em casos de urgência e emergência.
É evidente que ainda faltam investimentos e mais equipamentos para manter o funcionamento da unidade.
Mas, é preciso mantê-lo operando.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias