Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ

Aeroportos paulistas

21 ABR 2016 - 08h00

A Copa do Mundo no Brasil, em 2014, trouxe legados importantes, principalmente de obras de infraestrutura, mas também deixou rastros de serviços públicos incompletos.

Dos aeroportos, por exemplo, uma parte teve melhorias. No entanto, faltou investimento maior para garantir mais acessos.

Ontem, o Estado de São Paulo assinou a autorização para que a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) publique o edital de concessão dos aeroportos Antônio Ribeiro Noronha Jr. (Itanhaém), Gastão Madeira (Ubatuba), Comandante Rolim Adolfo Amaro (Jundiaí), Campo dos Amarais (Campinas) e Arthur Siqueira (Bragança Paulista).

Uma importante iniciativa em meio aos grandes problemas de mobilidade enfrentados não somente em São Paulo, mas em todo o País.

Hoje o meio de transporte que mais cresce é a aerovia. Só para se ter uma ideia, a concessão representa um potencial de crescimento para as regiões onde os aeroportos estão situados, com a geração de novos negócios e postos de trabalho. O ganho operacional com a ampliação de investimentos na infraestrutura aeroportuária e nos serviços beneficiarão os usuários dos aeródromos que, juntos, movimentaram cerca de 210 mil aeronaves em 2014.

Atualmente, esses cinco aeroportos são administrados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). Todos são vocacionados primordialmente para o desenvolvimento da aviação geral, com foco na aviação executiva e táxi aéreo.

O investimento mínimo ao longo de 30 anos de concessão será de R$ 90,1 milhões, dos quais R$ 32,4 milhões serão concentrados nos quatro primeiros anos.

Desse montante geral estão previstos R$ 15,18 milhões no aeroporto de Itanhaém, R$ 19,68 milhões em Jundiaí, R$ 10,14 milhões em Bragança Paulista, R$ 17,57 em Ubatuba e R$ 27,50 milhões em Campinas (Campo dos Amarais). A esperança é de que essas concessões possam beneficiar, mesmo de forma indireta todos os moradores do Alto Tietê, que anteriormente até chegaram a pedir, por meio das autoridades locais, a construção de um aeroporto na região.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias