Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Calendário eleitoral

13 NOV 2015 - 07h00

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou, esta semana, o calendário eleitoral para o próximo ano. O órgão apontou que os candidatos terão um menor período para realizar sua campanha. A definição do calendário é importante e vai contribuir para que os candidatos definam, a partir de já, suas estratégias de suas candidaturas.

Na reportagem que o DS publicou uma informação importante de que entre as decisões que mais devem afetar os candidatos de Suzano e região estão a redução do tempo de campanha na internet (44 dias a menos) e a mudança da data das convenções partidárias. Antes prevista para junho, a data foi alterada para entre 20 de julho e 5 de agosto.

No País, apenas os nacionais e os brasileiros naturalizados podem participar das eleições que são obrigatórias para os maiores de 18 anos e menores de 70 anos. Podem, facultativamente, exercer o direito de voto os analfabetos, os maiores de 16 anos e menores de 18 anos e os maiores de 70 anos. Pode haver segundo turno se o primeiro colocado não alcançar a maioria absoluta dos votos válidos (não computados os brancos e os nulos). Nas eleições municipais, não haverá segundo turno se a cidade tiver menos de 200 mil eleitores.

O calendário foi aprovado pelo TSE na terça-feira. No ano que vem, o período das campanhas será menor do que o de 2014.

As datas mudaram em relação ao calendário do ano passado por causa da minirreforma política que criou novos prazos aos partidos e aos interessados em disputar cargos eletivos.

A propaganda eleitoral em rádio e TV foi reduzida de 45 para 35 dias, tendo início em 26 de agosto, em primeiro turno.

Numa democracia, como ocorre no Brasil, as eleições são de fundamental importância, além de representar um ato de cidadania. Possibilitam a escolha de representantes e governantes que fazem e executam leis que interferem diretamente em nossas vidas. Escolher um péssimo governante pode representar uma queda na qualidade de vida. Sem contar que são os políticos os gerenciadores dos impostos que é pago pela população. Desta forma, é preciso dar mais valor a política e acompanhar com atenção e critério tudo que ocorre em nossa cidade, Estado e País.

O voto deve ser valorizado e ocorrer de forma consciente. Deve-se votar em políticos com um passado limpo e com propostas voltadas para a melhoria de vida da coletividade

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias