Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo

CBF e o futebol

19 DEZ 2015 - 19h37

Os mais recentes episódios envolvendo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) só agravam a situação do seu dirigente. A situação parece, cada vez mais crítica, sobretudo após as suspeitas de irregularidades e denúncias de corrupção na Fifa, a entidade máxima do futebol.

Na semana passada, ex- jogadores de futebol Raí, Djalminha e Alex; e o técnico Paulo Autuori fizeram uma manifestação na porta da sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, para pedir modificações na estrutura da entidade, no sistema de eleições e a renúncia da atual diretoria.

Uma forma de tentar pressionar as autoridades a tomar providências sobre a grave situação no comando do futebol brasileiro.

No início da manifestação, que incluiu ainda um grupo de torcedores, Raí leu um manifesto assinado por 130 personalidades de diversos setores do país, incluindo artistas, acadêmicos e jornalistas.

Sem dúvida, as reivindicações são consequências do amadurecimento democrático do País para superar sistemas eleitorais viciados, como ocorrem no futebol.

O que tem acontecido nos últimos tempos na CBF, na parte ética e moral, é o mínimo que, todos que buscam a melhoria do futebol, pode questionar.

Nesse momento é preciso modificar o sistema que existe na CBF e partir do zero repensar a estrutura do futebol, esporte que representa uma das expressões mais importantes da cultura do brasileiro e que está no seu dia a dia.

O futebol é hoje um patrimônio cultural. Leva alegria à sociedade, tão sofrida diante da situação financeira do País.

Tudo que aconteceu no futebol do País envergonha a todos, não só no aspecto de resultados, mas, principalmente, no campo ético e moral.

Um país que quer viver uma realidade democrática, não pode aceitar uma instituição que tem a representação, mas não é soberana.

Quem esteve na manifestação, esta semana, sabe que o primeiro passo para se resolver um problema é reconhecer que este problema existe.

Sem dúvida, é muito triste a atual situação do futebol brasileiro por notar muito sonho deixado de lado e torcedores desacreditados e desanimados com os seus clubes. É preciso torcer para que uma melhora no futebol venha acontecer.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias